Yuri da Cunha: “Mais do que lançar um disco, quero ajudar a contar a história musical de Angola”

Com quatro shows programados para os dias 9, 10, 17 de Abril e dia 1 de Maio, Yuri da Cunha vai cantar Teta Lando e reafirmar o compromisso de ser a “ponte” entre a nova geração e a historiografia da música popular angolana.

Depois de prestigiar Artur Nunes, na nova temporada do conceito `Yuri da Cunha canta´, Teta Lando é o artísta da vez e, na qualidade de exímio intérprete, vai memorar canções que transportam a mensagem poética e popular de uma Angola sessentista.

Porém, não só de cantos será feito o certame. Movido pelos seus ideais, Yuri vai propagar a tradição oral por meio de história e vivências do incontornável ícone, num live descontraído, marcado para o dia 7 de Abril, com amigos e familiares de Teta.

No mais, à Carga Magazine Mr. Pulungunza assegurou que esta temporada de shows é uma mensagem de amor que atravessa gerações.

Yuri da Cunha: “Mais do que lançar um disco, quero ajudar a contar a história musical de Angola”

O projecto `Yuri da Cunha canta´ começou com Artur Nunes e já tem um tempo desde que foi concebido, como é para si voltar a este conceito?

Sempre interpretei os grandes nomes nos meus shows, nunca deixei de fazê-lo. Infelizmente a essa altura, a pandemia nos tirou dos palcos… mas faz parte da minha vida interpretar estes grandes nomes da nossa praça, faz parte daquilo que é para se continuar a ser angolano.

Está empenhado nisto há já algum tempo, qual tem sido o retorno?

O retorno é lento. Sou daquelas pessoas que os projectos são feitos a longo prazo, eu penso numa Angola para daqui a cento e tal ou duzentos anos.

Por quê num futuro tão longiquo?

Porque Angola não pode existir só enquanto estou vivo, Angola vai existir para os meus netos, bisnetos e vai continuara a ser um país. Não estarei aqui, mas sei que eles saberão que existiu um Yuri da Cunha e que o avô ou bisavô lutou com honra para que Angola seja um ponto de Amor, equilíbrio e muito cultural.

É visívelmente pujante em si o exemplo desta Angola musical sessentista…

Neste momento vivo um bocadão das histórias musicais e de vivência de pessoas como Teta Lando, daí eu fazer esta homenagem, o que quer dizer que se há sessenta anos, quando Teta Lando começou a cantar, começou a fazer a sua música de forma a criar uma condição melhor para o angolano, eu quero fazer o mesmo. E se perguntar o que quero fazer de agora em diante, a resposta será: quero servir a minha nação, porque também já fui servido.

Mencionou que o retorno por estas “redescobertas” tem sido  lento. No seu entender, o que estará na base disto?

É normal, são processos. O país, nós enquanto estado, não estamos todos juntos nas causas nobres e muita gente vai fazendo o caminho inverso e,até fazermos todo mundo entender que lagartixa não é jacaré, vai levar bastante tempo e não estou preocupado com este tempo, pois o importante é começar e a força da vida, fará com que as coisas cheguem no seu tempo, aliás, ninguém sabe o que Deus tem programado para nós e para aqueles que não são de Deus, ninguém sabe o que o universo tem preparado para nós.

Não é claramente um trabalho só da classe artística…

No fundo não há um trabalho colectivo para educarmos e ensinarmos as nossas pessoas a perceberem quem elas são, é importante que se faça isso e que a classe política principalmente tome nota sobre isso, pois são fundamentais para o processo de crescimento, valorização e integração do angolano e da sua matéria.

Em que aspectos é que o Covid-19 influenciou a sua vida?

Mudou muita coisa, comecei a ter mais tempo para mim, a cuidar mais de mim e me percebendo mais e assim passei a ter melhor percepção sobre os outros, sobre o respeito, perdão, a dinâmica da vida, sobre como encontrar tempo para construir Angola. A pandemia, no fundo, não me trouxe coisas más.

Tirando as mortes que causou no mundo e atrapalhou muita gente, a mim trouxe momentos para reflectir, trouxe o 3G, trouxe o 4.0 e O Reino, musicalmente foi um saldo positivo, pessoalmente distanciou-me de pessoas, sou muito ligado ao toque e com a pandemia o toque fica distanciado e tem sido difícil.

Fale-nos sobre o Mr. Pulungunza?
Não é o meu álbum mais recente, Mr. Pulungunza é o nome que dei ao alter ego. É o Yuri da Cunha com muita força, muita pulungunza, logo, chamamos o Mr. Pulungunza para fazer aquilo que não fiz na minha juventude, por causa da minha responsabilidade com o Semba e com as músicas de Angola. O Mr. Pulungunza entra um pouquinho na música jovem de África.

E para quando está previsto o lançamento do seu próximo trabalho musical?

Por agora, estamos mais preocupados com estes shows e mais do que lançar um disco, nós queremos afirmar coisas, queremos ensinar as pessoas a perceberem a música de Angola, não só com falas, mas é importante falar, estarmos juntos. É importante fazer o Show `Yuri canta Teta Lando´, como fiz `Yuri canta Artur Nunes. É preciso fazermos para se conhecer a história, porque o futuro começa no passado e sem passado o povo não tem história, e nós temos muita história para se contar que, infelizmente, não foi contada há tempo, nós estamos a contar a nossa parte musical, e será contada um dia.

as cargas mais recentes

Paulo Flores representa África no concerto promovido pela ONU e OMS

há 1 ano
Maio parece ser mês de Paulo Flores, depois do convite da Apple Music, o artista angolano participa de um concerto virtual organizado pela OMS e pela ONU a alusivo ao Dia da Cultura da Língua Portuguesa e ao Dia Mundial da Higiene das Mãos.

Actor luso-angolano encontrado morto

há 1 ano
O actor luso-angolano Pedro Lima foi encontrado este sábado de manhã, na Praia do Abano, morto. O alerta para as autoridades foi dado pouco depois das 8 horas.

Filha de DMX vai participar no álbum póstumo do rapper

há 4 meses
A filha de DMX, Sonovah Hillman Jr., de 8 anos, será apresentada no próximo álbum do rapper. Espera-se que a colaboração impulsione a carreira da jovem promissora no Hip Hop.

Tudo Que Sei: Novo tema em Kizomba reafirma ecletismo de Sandra Cordeiro

há 3 meses

Yola Semedo regozija-se após firmar parceria com a Clé Entertainment

há 3 meses
Depois das recentes contratações de Yola Araújo, Noite e Dia e Ivan Alekxei, a produtora musical Clé Entertainmente anunciou o vínculo contratual com a cantora Yola Semedo.

Quincy Jones afirma que os Beatles “foram os piores do mundo”

há 1 ano
Numa entrevista que se tornou viral, e pode provocar alguma polémica, Quincy Jones, lendário produtor de Michael Jackson, afirmou que os Beatles não valiam nada.

Muhatu: 4ª edição da maior competição de spoken word no feminino acontece dia 29 de Setembro

há 1 ano
Já com o processo de inscrições a decorrer, para a edição `MUHATU 2020´, a competição anual, que já conta com 3 edições realizadas (2017, 2018 e 2019), vai adaptar-se ao “novo” normal social, tendo a 4.ª edição realizada completamente on-line.

Show do Mês leva angolanos à fonte da música angolana

há 1 ano
A Nova Energia levou este sábado internautas e telespectadores a efectuarem uma viagem obrigatória à verdadeira origem da música angolana, na voz e guitarra de Carlitos Vieira Dias, considerado um dos legados vivos da música angolana.

Vem aí um novo musical de Hip Hop com Young Thug no papel de protagonista e produtor

há 3 meses
Ao lado de Tiffany Haddish e Shahadi Wright Joseph, Young Thug fará a sua estreia como actor, no papel principal do filme musical que intitular-se-á `Throw it Back´ e será também o responsável pela produção da trilha sonora do filme.

Black Lives Matter: F1 proíbe o uso de t-shirts de protesto no pódio

há 12 meses
O novo protocolo foi implementado no Prémio da Rússia, que decorreu no passado dia 27. A FIA solicitou que os pilotos permaneçam com os macacões de corrida fechados até ao pescoço, noticiou o The Guardian.

Carlos Morais concorre para o smach da década

há 1 ano
O afundanço de Carlos Morais, no concurso, é referente ao jogo frente a Moçambique, no Afrobasket de 2013.

Ronaldinho Gaúcho infectado com Covid-19

há 11 meses
A confirmação foi dado pelo próprio, através das suas redes sociais, após a sua não participação de um evento, que visava efectuar uma visitar de campo a um estádio de futebol em Minas Gerais.

Trunfos do DJ Znóbia

há 8 meses

Novidade: Luso lança música promocional do segundo álbum

há 6 meses
Dois anos depois do lançamento do seu primeiro álbum “Lusolandia”, sob selo da produtora Cave Play, de Kid MC, o rapper angolano aparece esta sexta-feira com a faixa promocional do seu segundo álbum.

Contagem decrescente para a estreia da 4ª temporada de “La Casa de Papel”

há 2 anos
Nairóbi morre? Berlim está vivo? O Professor vai perder o controle? Bastou sair o trailer da quarta temporada de “La Casa de Papel” as perguntas sobre o que acontecerá não param de ecoar na internet.

Jay Z encerra academia de Boxe por causa da crise

há 11 meses
A Roc Nation Sports, subsidiária da Roc Nation, empresa do músico e empresário Jay Z, decidiu abandonar a modalidade de boxe, após colocar vários atletas em competições profissionais internacionais.