Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e  vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

Por que decide cantar?
Porque amo música. Posso dizer que a música é o meu grande amor. Comecei a desenvolver este gosto como artista profissional há dois anos, mas já venho a cantar há 10 anos em  Angola.

Traz um estilo bastante cultivado em Angola, é nele que quer construir a carreira?
Sim. É o estilo de música em que mais me identifico, mas não ficarei apenas por aqui.

Está ciente das dificuldades que terá de enfrentar para conseguir se impor em Luanda?
O mercado musical não é o mais fácil, mas com força e dedicação consegue-se gerir. Com muito esforço, dedicação, amor e entrega, vou conseguir.

Como está a ser o começo da carreira?
Incrível. A recepção das pessoas, o carinho e a forma como têm consumido o meu trabalho tem sido de louvar e agradecer.

Teve alguma influência familiar? Que músicos a influenciaram?
Não, não tive. Apenas recebo apoio dos meus familiares e amigos. Minhas influências são Puto Português, Ary, Yola Semedo, Paulo Flores, Edgar Domingos entre outros.

De um dia para o outro decidir que quer cantar profissionalmente… Desde pequena tive uma paixão enorme por música, cantava e fazia karaoke em casa, mas com o passar do tempo decidi tornar o meu sonho realidade e levar mais a sério a carreira musical.

Quantas músicas possui neste momento?
Três. Duas já lançadas e uma por publicar. A primeira, com o título “Me Esquece”, traz a participação de W Street. A segunda “Vais Me Bondar” não leva participação.

O quê que aborda nestas músicas?
Vivências e coisas vistas no nosso quotidiano, na sua maioria tem mais a ver com amor correspondido como os não correspondidos.

Com quem trabalha?
Trabalho com o auxílio do meu agente Gabriel Satxibala. Estou vinculada à MTC Produções.

Como é que conseguiu assinar com a MTC Produções?
O meu agente viu-me a cantar em um show na discoteca Number one cá em Portugal, gostou e decidiu apostar em mim.

Depois das duas músicas, qual será o próximo passo?
Lançar mais trabalhos, promover mais a minha imagem e conquistar o coração dos meus fãs.

É no mercado português que quer actuar?
Vim cá no Porto para dar procedimento a minha formação, mas canto para o mercado da Lusofonia.

Já é uma artista de grandes exposições?
Ainda não, mas estamos a trabalhar para isso. Apareço algumas vezes na TV, já actuei em discotecas, bares, festivais e festas.

Quando regressar a Angola, com quem desejará cantar?
Paulo Flores, Edgar Domingos, Ivan Alexei. Também sonho em cantar com Tozé Gonçalves, Jacob.

Em que se está a formar?
Estudo Ciências Empresariais, na universidade Fernando pessoa.

as cargas mais recentes

Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

há 10 meses
Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Conheça Txu Álex, a “voz do amor” que faz sucesso em Cabinda

há 5 meses
Tux Alex é um músico de R&B que está a construir uma carreira de sucesso em Cabinda. Começou em Luanda há 6 anos e hoje montou o seu próprio estúdio em casa. Seu percurso artístico vai desde produções musicais, arranjos até a participações em trabalhos de outros artistas.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 12 meses
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

10 anos depois Diff regressa ao game para revolucionar o Rap

há 6 meses
É dos rappers mais modernos da actualidade e só não deu cartas porque esteve dez anos fora do mainstream, mas, está de volta e desta vez com um EP de 4 faixas musicais, incluindo os respectivos vídeoclips. Além da obra, o músico preparou uma “bomba” com Anselmo Ralph e fala à Carga sobre o seu regresso.

Conheça Cleyton M, o autor do hit “Emagrece”

há 12 meses
Cleyton M é o pseudónimo de Rafael Elias Manuel. O cantor e dançarino de Afro House é o autor do hit ‘Emagrece’. Sua maneira de dançar tem conquistado fãs por todo lado. O jovem de 18 anos começou do “nada” e hoje faz planos para atingir Chris Brown. Nesta primeira entrevista da carreira, fala sobre o envolvimento com a música.

Após conquistar fãs em Benguela, Sarita quer se impôr em Luanda

há 11 meses
Sarita é o nome artístico de Sara Joaquim, uma jovem proveniente do Lobito. A artista de 22 anos canta Zouk, R&B e Kizomba. No ano passado, decidiu vir a Luanda em busca do sonho e tudo parece estar a correr. Nesta entrevista apresenta as primeiras músicas, vídeo clípe e fala dos seus projectos.

Mário Gomes: O presente e o futuro entre os guitarristas

há 7 meses
Dom Caetano, Filipe Mukenga consideram-no o melhor guitarrista da actualidade. Saiba mais sobre este pequeno/grande músico na entrevista concedida à Revista Carga.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 8 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Osvaldo Aprumado: “As produtoras de renome em Angola vendem falsas esperanças aos novos talentos”

há 8 meses
Natural do Rangel, em Luanda, canta há 9 anos e, apesar de não conseguir uma “daquelas” oportunidades, lançou um EP e em breve vai colocar no mercado mais um novo projecto musical acompanhado de vídeoclipe. O jovem de 25 anos conta à Carga como está a desenvolver a sua carreira musical.

Bobby Jay: “Se o 2pac e o B.I.G estivessem vivos, também cantariam num Afrobeat”

há 12 meses
Professor de profissão, Bobby Jay está no Rap há 22 anos, por influência dos SSP, Black Company, Boss AC e Gabriel o Pensador, mas nunca chegou a consolidar a carreira. Atualmente com 30 músicas gravadas e vídeos clipes promocionais, o músico deixa as primeiras impressões e diz-se preparado para testar sua popularidade com um álbum este ano.

Do Cazenga para o Mundo: Lomerh deixa as primeiras impressões

há 11 meses
Lomerh vem do Hoji Ya Henda, em Luanda. Para além de cantor e produtor, compõe para outros artistas e projecta-se como umas das referências do Ghetto Zouk, R&B e Trap Soul. O músico canta desde 2009 e já possui dois EP e vários vídeo clipes e lança a sua carreira nesta entrevista.

Um DJ pequeno com um percurso profissional invejável

há 7 meses
Com apenas 13 anos de idade, Dj Dinho já leva uma carreira profissional invejável. Já foi contratado para tocar nos mesmos festivais que Paulo Alves, Havaiana, Vado Poster, Rickstar e Pzee Boy, e tem a fama de ser o primeiro com a sua idade a actuar no Unitel Festa da Música.

Conheça Triple Star C, o músico nigeriano que decidiu fazer carreira em Angola

há 6 meses
O seu sucesso começou na Nigéria, pisando palcos com artistas como Davido, para além de actuar em festivais na África do Sul, Gana e RDC. Mas é em Angola que Triple Star C quer fazer a carreira E, aos poucos, vai ganhando título de promotor e representante do Afro Naija em Angola.

Edson Narciso: “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

há 4 meses
Diferente de Bob Marley, Edson Narciso quer cultivar o amor, a paz e o respeito pelas diferenças, por meio do Rap, num estilo que apelida de Hard Trap. Já várias vezes tentou uma carreira profissional, e não teve sucesso. Depois de um longo intervalo, aparece com os primeiros projectos musicais.

Jamayka Poston regressa ao game e é o primeiro PhD angolano a cantar Rap

há 10 meses
Jamayka Poston carrega o ritmo, a arte e a poesia no sangue, com mais de 25 anos de carreira, foi o primeiro a dropar em Kimdundu. Depois de algum tempo ausente, regressa ao game com músicas e EP novos e tem espectáculo agendado. O veterano não é muito de entrevistas, mas aceitou o desafio da Carga para falar sobre o seu invejável percurso artístico.

Steel Wonder: Mais um filho do Prenda que aspira ter sucesso no Rap

há 2 meses
A segunda “season” da sua história com a música, surge em 2013, ao identificar-se com a ideologia da Força Suprema. Actualmente no Rap, Steel aspira trabalhar com a Latino Records e vê no single `mamacita´, a sua ascensão musical.