Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e  vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

Por que decide cantar?
Porque amo música. Posso dizer que a música é o meu grande amor. Comecei a desenvolver este gosto como artista profissional há dois anos, mas já venho a cantar há 10 anos em  Angola.

Traz um estilo bastante cultivado em Angola, é nele que quer construir a carreira?
Sim. É o estilo de música em que mais me identifico, mas não ficarei apenas por aqui.

Está ciente das dificuldades que terá de enfrentar para conseguir se impor em Luanda?
O mercado musical não é o mais fácil, mas com força e dedicação consegue-se gerir. Com muito esforço, dedicação, amor e entrega, vou conseguir.

Como está a ser o começo da carreira?
Incrível. A recepção das pessoas, o carinho e a forma como têm consumido o meu trabalho tem sido de louvar e agradecer.

Teve alguma influência familiar? Que músicos a influenciaram?
Não, não tive. Apenas recebo apoio dos meus familiares e amigos. Minhas influências são Puto Português, Ary, Yola Semedo, Paulo Flores, Edgar Domingos entre outros.

De um dia para o outro decidir que quer cantar profissionalmente… Desde pequena tive uma paixão enorme por música, cantava e fazia karaoke em casa, mas com o passar do tempo decidi tornar o meu sonho realidade e levar mais a sério a carreira musical.

Quantas músicas possui neste momento?
Três. Duas já lançadas e uma por publicar. A primeira, com o título “Me Esquece”, traz a participação de W Street. A segunda “Vais Me Bondar” não leva participação.

O quê que aborda nestas músicas?
Vivências e coisas vistas no nosso quotidiano, na sua maioria tem mais a ver com amor correspondido como os não correspondidos.

Com quem trabalha?
Trabalho com o auxílio do meu agente Gabriel Satxibala. Estou vinculada à MTC Produções.

Como é que conseguiu assinar com a MTC Produções?
O meu agente viu-me a cantar em um show na discoteca Number one cá em Portugal, gostou e decidiu apostar em mim.

Depois das duas músicas, qual será o próximo passo?
Lançar mais trabalhos, promover mais a minha imagem e conquistar o coração dos meus fãs.

É no mercado português que quer actuar?
Vim cá no Porto para dar procedimento a minha formação, mas canto para o mercado da Lusofonia.

Já é uma artista de grandes exposições?
Ainda não, mas estamos a trabalhar para isso. Apareço algumas vezes na TV, já actuei em discotecas, bares, festivais e festas.

Quando regressar a Angola, com quem desejará cantar?
Paulo Flores, Edgar Domingos, Ivan Alexei. Também sonho em cantar com Tozé Gonçalves, Jacob.

Em que se está a formar?
Estudo Ciências Empresariais, na universidade Fernando pessoa.

as cargas mais recentes

Mr. Omni promete ser o under diferencial em Angola

há 2 anos
Mr. Omni, heterónimo de Casimiro Garcia, é um rapper que canta há 9 anos. O músico nasceu no Sambizanga e cresceu entre Catambor, Rangel, Vila Alice e Kicolo e conta que viu-se forçado a ser artista para repudiar a situação da pobreza, criminalidade, alcoolismo e drogas que se vivia nos bairros que passou. Com dois EP lançados, o rapper fala durante a primeira entrevista da carreira sobre os próximos desafios.

Osvaldo Aprumado: “As produtoras de renome em Angola vendem falsas esperanças aos novos talentos”

há 1 ano
Natural do Rangel, em Luanda, canta há 9 anos e, apesar de não conseguir uma “daquelas” oportunidades, lançou um EP e em breve vai colocar no mercado mais um novo projecto musical acompanhado de vídeoclipe. O jovem de 25 anos conta à Carga como está a desenvolver a sua carreira musical.

Após destaque no Moda Luanda, Scró Q Cuia e Nerú Americano anunciam álbum de estreia

há 2 anos
Há dois anos era impossível pensar numa relação entre ambos. Scró Q Cuia e Nerú Americano vêm provando que são verdadeiros profissionais ao criarem os “Pintins”. A dupla anuncia o álbum de estreia, fala do tempo que vai durar a parceria, enumera as conquistas e desvenda os segredos da tamanha cumplicidade, deixando palavras de apreço para os angolanos.

A voz que representa o Rap angolano em Moscovo

há 2 anos
Chama-se Massoxy’h e chegou a Rússia há quatro anos, para estudar Engenharia Informática, e está a conquistar vários palcos.

Daqui para frente Rock angolano passará a estar mais pesado

há 7 meses

Edson Narciso: “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

há 1 ano
Diferente de Bob Marley, Edson Narciso quer cultivar o amor, a paz e o respeito pelas diferenças, por meio do Rap, num estilo que apelida de Hard Trap. Já várias vezes tentou uma carreira profissional, e não teve sucesso. Depois de um longo intervalo, aparece com os primeiros projectos musicais.

Nélia Dias: Do Top Rádio Luanda rumo ao topo da música angolana

há 1 ano
Nélia Dias é um nome a se ter em conta no music hall nacional, por ser das poucas que conseguiu colocar o seu nome no Top Rádio Luanda com a música de estreia. A sua carreia ficou marcada por duetos com Young Double, Mona Nicastro, mas agora tem em carteira um novo projecto musical com o qual se quer lançar ao mundo.

Do Cazenga para o Mundo: Lomerh deixa as primeiras impressões

há 2 anos
Lomerh vem do Hoji Ya Henda, em Luanda. Para além de cantor e produtor, compõe para outros artistas e projecta-se como umas das referências do Ghetto Zouk, R&B e Trap Soul. O músico canta desde 2009 e já possui dois EP e vários vídeo clipes e lança a sua carreira nesta entrevista.

Fresh Low, um rapper polivalente que caminha para o estrelato

há 2 anos
Fresh Low é um rapper polivalente e canta há 11 anos. Sua música ‘Makeup’, que conta com a participação de Yankie Boy da Trx Music é a preferência para a maioria dos usuários do YouTube, Soundcloud e Blogues.

Rodex Mágico, um artista plurivalente que caminha a passos firmes em direcção ao triunfo musical

há 7 meses
O jovem artista vem dos Combatentes, o que parece justificar seus conteúdos e referências musicais como Bruno M. Tal como várias outras estrelas, Mágico é um daqueles talentos que trocou o mundo da delinquência pelo Kuduro ou Rap. Kuduro ou Rap, porque fica difícil se posicionar ante a tendência deste artista, que resulta da fusão entre o Kuduro, Funk, Rap e Afrobeat.

Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

há 2 anos
Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Enock: “A minha música Banzelo revolucionou o Rap angolano”

há 1 ano
O surgimento de Enock em 2013 reanimou o Rap nacional ao introduzir abordagens pontuais. O seu tema “Banzelo”, com Ready Neutro e Fabiansky”, colocou-o entre os melhores, contudo, é com o primeiro álbum que quer inscrever o seu nome na montra do Hip Hop angolano, mas não quer fazer isso sem antes medir a popularidade.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 1 ano
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Conheça Cleyton M, o autor do hit “Emagrece”

há 2 anos
Cleyton M é o pseudónimo de Rafael Elias Manuel. O cantor e dançarino de Afro House é o autor do hit ‘Emagrece’. Sua maneira de dançar tem conquistado fãs por todo lado. O jovem de 18 anos começou do “nada” e hoje faz planos para atingir Chris Brown. Nesta primeira entrevista da carreira, fala sobre o envolvimento com a música.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 1 ano
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Kuta: O artista plástico que leva a herança espiritual angolana ao mundo

há 5 meses
Kuta entrou no mundo das artes muito jovem e tornou-se agora o mensageiro da espiritualidade ancestral negra “nkissi”. Está neste momento a preparar uma nova exposição, que inclui esculturas, pinturas e documentário.