Após conquistar fãs em Benguela, Sarita quer se impôr em Luanda

Sarita é o nome artístico de Sara Joaquim, uma jovem proveniente do Lobito. A artista de 22 anos canta Zouk, R&B e Kizomba. No ano passado, decidiu vir a Luanda em busca do sonho e tudo parece estar a correr. Nesta entrevista apresenta as primeiras músicas, vídeo clípe e fala dos seus projectos.

Quando é que decide apostar na música?

Comecei a cantar desde os meus 15 anos na Banda Kakonda, isto em bares, lá mesmo no Lobito. E sentia que as pessoas gostavam do que eu fazia.

Como está a sua carreira artística neste momento?

Estou à procura do meu espaço no mercado.
Já estou estou a terminar o EP, de que fará parte as músicas ‘Sarita – A Nina Tá Malé’ (promocional com vídeo clípe) e ‘Amor Antigo’, com outras a sair brevemente.

Neste momento, já possui quantas músicas?

Prontas tenho duas, a Sarita – A Nina Tá Malé  e & Amor Antigo, que já estão disponíveis no ITunes, Google Play, Amazon Music e Spotify e YouTube.

Quais são as participações? 

De momento nenhuma.

Para quando é que está agendada a publicação do EP?

Estamos a trabalhar agora nisso. Tenho um representante que trata destas questões.

Está ciente das dificuldades impostas pelo mercado?

Também estou à procura de uma opoportunidade.

O que propõe como a das mais novas vozes no mercado?

A minha voz, a minha melodia e a minha forma de cantar fazem toda a diferença.

A que produtora esta associada?

De momento nenhuma. Trabalhamos com produtores independentes.

Ja começou a colher os frutos?

Em fase de promoção e sendo pouco conhecida a nível internacional ou nacional ainda não tenho muito saída,mas canto normalmente no MD House.

O que procura expressar nas suas músicas?

Música é um meio de comunicação. A música é algo que nos vai à alma. Eu canto no Geral. Porque quero que a minha música atinja todo tipo de público. Canto para todas as idades.

Que músicos tem como referências?

Matias Damásio e Anselmo Ralph. Mas eu canto todo estilo de música. Sou versátil.

as cargas mais recentes

Malunne: A pequena grande dançarina

há 6 meses
Malunne, filha do músico Maya Cool, a semelhança do pai “deu as mãos” à cultura. Muito cedo começou a cantar, mas, ao contrário do progenitor, não é nesta área em que se destaca, mas sim na dança. Com 16 anos de idade, Malunne já é uma professora de dança consagrada, sendo responsável pela coreografia de cantores conceituados.

Edson Narciso: “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

há 2 meses
Diferente de Bob Marley, Edson Narciso quer cultivar o amor, a paz e o respeito pelas diferenças, por meio do Rap, num estilo que apelida de Hard Trap. Já várias vezes tentou uma carreira profissional, e não teve sucesso. Depois de um longo intervalo, aparece com os primeiros projectos musicais.

Jandir Three, o cantor angolano de Tarraxinha que soma fãs em Moçambique

há 6 meses
Jandir Three é um músico angolano que está a somar fãs em Moçambique, através do Gloom Channel. O jovem de Benguela canta Trap Tarraxinha há 10 anos e tem várias músicas e vídeo clipes disponíveis. Recentemente, assinou com uma nova produtora e está neste momento a preparar projectos e deixa suas impressões à Carga.

10 anos depois Diff regressa ao game para revolucionar o Rap

há 3 meses
É dos rappers mais modernos da actualidade e só não deu cartas porque esteve dez anos fora do mainstream, mas, está de volta e desta vez com um EP de 4 faixas musicais, incluindo os respectivos vídeoclips. Além da obra, o músico preparou uma “bomba” com Anselmo Ralph e fala à Carga sobre o seu regresso.

Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

há 7 meses
Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

Variiano: “Queremos ser os ícones do Rap Luso”

há 6 meses
Vat, Graffiter e Cossom formam os Variiano, um grupo de Rap que há três anos vem ocupando o seu espaço no mercado. O trio carrega um foco temático e filofofia de trabalho diferentes dos habituais grupos de Rap. Em menos de três anos produziu três EP, pisou vários palcos e prepara-se para dar o primeiro grande passo da carreira.

Alice Julie mostra os frutos da parceria com a Milionário Records

há 2 meses
Desde pequena sonhou em se tornar numa estrela da música, um desejo que será agora materializado pela Milionário Records. A mais recente aposta da produtora já começou a trabalhar para os seus dois primeiros álbuns e esta sexta-feira (27) vai testar o público com o single “Encaixe Perfeito”.

Após destaque no Moda Luanda, Scró Q Cuia e Nerú Americano anunciam álbum de estreia

há 7 meses
Há dois anos era impossível pensar numa relação entre ambos. Scró Q Cuia e Nerú Americano vêm provando que são verdadeiros profissionais ao criarem os “Pintins”. A dupla anuncia o álbum de estreia, fala do tempo que vai durar a parceria, enumera as conquistas e desvenda os segredos da tamanha cumplicidade, deixando palavras de apreço para os angolanos.

Enock: “A minha música Banzelo revolucionou o Rap angolano”

há 5 meses
O surgimento de Enock em 2013 reanimou o Rap nacional ao introduzir abordagens pontuais. O seu tema “Banzelo”, com Ready Neutro e Fabiansky”, colocou-o entre os melhores, contudo, é com o primeiro álbum que quer inscrever o seu nome na montra do Hip Hop angolano, mas não quer fazer isso sem antes medir a popularidade.

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 3 meses
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.

Um DJ pequeno com um percurso profissional invejável

há 4 meses
Com apenas 13 anos de idade, Dj Dinho já leva uma carreira profissional invejável. Já foi contratado para tocar nos mesmos festivais que Paulo Alves, Havaiana, Vado Poster, Rickstar e Pzee Boy, e tem a fama de ser o primeiro com a sua idade a actuar no Unitel Festa da Música.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 7 meses
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Yunami: O rapper que representa Angola nos palcos da Hungria

há 5 meses

Demarte Pena: “Ser da família Savimbi, não significa que tinha de seguir a política”

há 4 meses
O atleta é dos melhores lutadores de MMA em África e mantém a invencibilidade no EFC com 13 títulos. The Wolf (O Lobo), como é conhecido nos ringues, fala à Carga sobre os seus projectos, sonhos e motivações.

Filho de Paulo Flores prepara o primeiro trabalho da carreira

há 10 meses
Kiari Flores acaba de confirmar que filho de peixe é peixe. O jovem abandonou o Sporting Lisboa e Benfica, onde já evoluía como profissional, para seguir as pisadas do pai.

Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

há 7 meses
Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.