Artista plástico promove imagem de músicos através de tambores

One Million é um artista plástico que, desde os 15 anos, vem promovendo imagem de músicos, especialmente os rappers, usando tambores. Natural do Cazenga, o artista de 27 anos apresenta-se à Carga e explica como funciona a técnica e porquê decidiu fazer isso.

Porquê decidiu trazer os músicos para as artes plásticas?

Porque amo pintar figuras públicas, ainda mais músicos populares como é o NGA, o King.

Tem alguma preferência por estilos musicais a pintar?

Sim, o Rap, por ser um estilo associado ao  movimento  Hip Hop, e porque também é um estilo livre, quando se fala de Hip Hop, estamos a falar de arte!.

Que mensagens quer fazer passar ao tentar trazer os músicos para as artes plásticas?

Ao pintar os cantores, quero mostrar ao mundo que as flores devem ser dadas enquanto as pessoas estão em vida.

E como nasce a paixão? 

Aos meus 15 anos, quando pela primeira vez, vi o meu primo desenhar. Isso me inspirou. Agora tenho 27 e continuo a pintar.

Os músicos procuram expressar o que lhes vem à alma através dos versos, rimas e melodias. Que técnica usa para exprimir esse sentimento?

Uso várias técnicas e procuro manifestar, de uma  forma real, esses sentimentos através das cores e movimentos. Tudo depende do momento.

Que artistas já pintou até agora? 

Profissionalmente, já retratei o Nagrelha, Nga, Prodígio, 2Pac.

O que está a pintar agora ?

Neste momento, estou a pintar uns tambores e estou também a fazer o logo da empresa.

Como faz para pintar os artistas? Os contacta antes de os pintar ?

Não. Não faço. Eu adoro surpresa!. Eu já queria pintar o NGA e outros manos da Força Suprema  faz tempo. Eu dormia e acordava com a imagem deles.

Como funciona isso de usar tambores?

Para os artistas apenas uso o tambor, esses tambores depois vão parar em bares e restaurantes e consigo-os por intermédio de um amigo. Quanto ao tempo de duração da obra, depende da minha disposição, pode fazer apenas horas. É mais uma forma de promover os meus trabalhos e os artistas.

Qual é o seu maior sonho ?

É ser reconhecido internacionalmente como artista.

Que artista mais lhe deu prazer de pintar ?

Nga, por causa do ser dele, da forma como ele é.

as cargas mais recentes

Edson Narciso: “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

há 2 anos
Diferente de Bob Marley, Edson Narciso quer cultivar o amor, a paz e o respeito pelas diferenças, por meio do Rap, num estilo que apelida de Hard Trap. Já várias vezes tentou uma carreira profissional, e não teve sucesso. Depois de um longo intervalo, aparece com os primeiros projectos musicais.

Do backstage ao palco: produtor executivo do Duetos N’Avenida aposta na carreira musical

há 6 meses

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 2 anos
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

há 2 anos
Tropa Yogaa é uma dupla relativamente nova, mas está a chamar a atenção pela forma como combina a música e a dança ao fisioculturismo. Formada por Fredy Lück Toks e Yuri Paulo Betão, o duo está no Afro House desde 2016 e falam à Carga sobre como nasce a intenção de juntar a dança e música ao fisioculturismo.

Enock: “A minha música Banzelo revolucionou o Rap angolano”

há 2 anos
O surgimento de Enock em 2013 reanimou o Rap nacional ao introduzir abordagens pontuais. O seu tema “Banzelo”, com Ready Neutro e Fabiansky”, colocou-o entre os melhores, contudo, é com o primeiro álbum que quer inscrever o seu nome na montra do Hip Hop angolano, mas não quer fazer isso sem antes medir a popularidade.

Nélia Dias: Do Top Rádio Luanda rumo ao topo da música angolana

há 2 anos
Nélia Dias é um nome a se ter em conta no music hall nacional, por ser das poucas que conseguiu colocar o seu nome no Top Rádio Luanda com a música de estreia. A sua carreia ficou marcada por duetos com Young Double, Mona Nicastro, mas agora tem em carteira um novo projecto musical com o qual se quer lançar ao mundo.

Um DJ pequeno com um percurso profissional invejável

há 2 anos
Com apenas 13 anos de idade, Dj Dinho já leva uma carreira profissional invejável. Já foi contratado para tocar nos mesmos festivais que Paulo Alves, Havaiana, Vado Poster, Rickstar e Pzee Boy, e tem a fama de ser o primeiro com a sua idade a actuar no Unitel Festa da Música.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

há 1 ano
Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Rafael Gonçalves: A voz do Ghetto Zouk que todos deviam ouvir

há 1 ano
Tem poucos anos de estrada e, apesar de ainda não pisar grandes palcos, Rafael Gonçalves já começou a atrair as tençãoes do público. Seus temas “Cobrar” e “Juntos P’ra Sempre” acabam por ser incorporados nas referências do Ghetto Zouk feito em Angola.

Mário Gomes: O presente e o futuro entre os guitarristas

há 2 anos
Dom Caetano, Filipe Mukenga consideram-no o melhor guitarrista da actualidade. Saiba mais sobre este pequeno/grande músico na entrevista concedida à Revista Carga.

Quarteto de amigos de infância prepara-se para comandar a música

há 2 anos

Nucho anuncia o álbum que lhe vai colocar no topo

há 2 anos
Nucho é um dos poucos rappers angolanos que conseguiu manter-se puro na última década. Em 2017, estreou-se com o álbum Sou[L] RAP e foi nomeado para o maior prémio da música feita em português. Depois disso, surgiram outras surpresas.

Jamayka Poston regressa ao game e é o primeiro PhD angolano a cantar Rap

há 2 anos
Jamayka Poston carrega o ritmo, a arte e a poesia no sangue, com mais de 25 anos de carreira, foi o primeiro a dropar em Kimdundu. Depois de algum tempo ausente, regressa ao game com músicas e EP novos e tem espectáculo agendado. O veterano não é muito de entrevistas, mas aceitou o desafio da Carga para falar sobre o seu invejável percurso artístico.

Bobby Jay: “Se o 2pac e o B.I.G estivessem vivos, também cantariam num Afrobeat”

há 2 anos
Professor de profissão, Bobby Jay está no Rap há 22 anos, por influência dos SSP, Black Company, Boss AC e Gabriel o Pensador, mas nunca chegou a consolidar a carreira. Atualmente com 30 músicas gravadas e vídeos clipes promocionais, o músico deixa as primeiras impressões e diz-se preparado para testar sua popularidade com um álbum este ano.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 2 anos
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Conheça Txu Álex, a “voz do amor” que faz sucesso em Cabinda

há 2 anos
Tux Alex é um músico de R&B que está a construir uma carreira de sucesso em Cabinda. Começou em Luanda há 6 anos e hoje montou o seu próprio estúdio em casa. Seu percurso artístico vai desde produções musicais, arranjos até a participações em trabalhos de outros artistas.