Artista plástico promove imagem de músicos através de tambores

One Million é um artista plástico que, desde os 15 anos, vem promovendo imagem de músicos, especialmente os rappers, usando tambores. Natural do Cazenga, o artista de 27 anos apresenta-se à Carga e explica como funciona a técnica e porquê decidiu fazer isso.

Porquê decidiu trazer os músicos para as artes plásticas?

Porque amo pintar figuras públicas, ainda mais músicos populares como é o NGA, o King.

Tem alguma preferência por estilos musicais a pintar?

Sim, o Rap, por ser um estilo associado ao  movimento  Hip Hop, e porque também é um estilo livre, quando se fala de Hip Hop, estamos a falar de arte!.

Que mensagens quer fazer passar ao tentar trazer os músicos para as artes plásticas?

Ao pintar os cantores, quero mostrar ao mundo que as flores devem ser dadas enquanto as pessoas estão em vida.

E como nasce a paixão? 

Aos meus 15 anos, quando pela primeira vez, vi o meu primo desenhar. Isso me inspirou. Agora tenho 27 e continuo a pintar.

Os músicos procuram expressar o que lhes vem à alma através dos versos, rimas e melodias. Que técnica usa para exprimir esse sentimento?

Uso várias técnicas e procuro manifestar, de uma  forma real, esses sentimentos através das cores e movimentos. Tudo depende do momento.

Que artistas já pintou até agora? 

Profissionalmente, já retratei o Nagrelha, Nga, Prodígio, 2Pac.

O que está a pintar agora ?

Neste momento, estou a pintar uns tambores e estou também a fazer o logo da empresa.

Como faz para pintar os artistas? Os contacta antes de os pintar ?

Não. Não faço. Eu adoro surpresa!. Eu já queria pintar o NGA e outros manos da Força Suprema  faz tempo. Eu dormia e acordava com a imagem deles.

Como funciona isso de usar tambores?

Para os artistas apenas uso o tambor, esses tambores depois vão parar em bares e restaurantes e consigo-os por intermédio de um amigo. Quanto ao tempo de duração da obra, depende da minha disposição, pode fazer apenas horas. É mais uma forma de promover os meus trabalhos e os artistas.

Qual é o seu maior sonho ?

É ser reconhecido internacionalmente como artista.

Que artista mais lhe deu prazer de pintar ?

Nga, por causa do ser dele, da forma como ele é.

as cargas mais recentes

Conheça Skit Van Darken, o autor de “Angola Não Me Diz Nada”

há 5 meses
O músico quase não é visto nos media convencionais, mas goza de boa popularidade considerável na Internet e, à surdina, vai se transformando na principal referência deste subgénero do Hip Hop.

Mr. Omni promete ser o under diferencial em Angola

há 2 anos
Mr. Omni, heterónimo de Casimiro Garcia, é um rapper que canta há 9 anos. O músico nasceu no Sambizanga e cresceu entre Catambor, Rangel, Vila Alice e Kicolo e conta que viu-se forçado a ser artista para repudiar a situação da pobreza, criminalidade, alcoolismo e drogas que se vivia nos bairros que passou. Com dois EP lançados, o rapper fala durante a primeira entrevista da carreira sobre os próximos desafios.

Nsingi, uma voz de Portugal que leva a cultura angolana com rítmo

há 9 meses
Carlos Nsingui nasceu em Portugal e nunca esteve em Angola, mas mantém fortes ligações com a cultura angolana, desde a música, gastronomia ao modo de ser, estar, falar, incluindo a forma de vestir, porque seus país são angolanos e parte da sua família vive em Angola.

Demarte Pena: “Ser da família Savimbi, não significa que tinha de seguir a política”

há 1 ano
O atleta é dos melhores lutadores de MMA em África e mantém a invencibilidade no EFC com 13 títulos. The Wolf (O Lobo), como é conhecido nos ringues, fala à Carga sobre os seus projectos, sonhos e motivações.

De Viana para Angola inteira: Anny Gonçalves, a nova revelação da música angolana

há 4 meses
Anny Gonçalves é um talento que a pandemia ajudou a revelar. A cantora destaca-se nos estilos Soul Music e Kizomba. Embora passe por despercebida aos olhos de muitos, vai conquistando o seu espaço. É ela a intérprete da trilha sonora do filme 2 Mundos, produzido por Hochi Fu.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 2 anos
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Tik Tok: O grupo sensação do momento

há 1 ano
Formado por um menino de 8 anos, um adolescente de 17 e dois jovens de 18, esta turma revela-se como a nova promessa do Afro House nacional.

Gilson Son: Morador de rua em Luanda vira estrela do Rap na internet

há 3 meses
Gilson Son é um MC com uma consistência lírica que muitos rappers renomados da nossa praça gostariam de ter. O jovem vive na rua e alimenta-se com pequenos restos de comida que encontra em contentores de lixo. Apesar da difícil vida, Gilson não perdeu o foco e, na semana passada, a sorte bateu-lhe a porta, inclusive DJ Samurai marcou com ele um encontro.

Di FlowZ: “Acredito que carreiras em fase embrionária têm sempre obstáculos”

há 2 anos
Chama-se Donald Ilunga, mas é conhecido nas lides musicais por Di FlowZ, polivalente, além de músico também produz e tem no seu repertório parcerias de “peso”. Neste Primeiras Impressões com a Carga, Di flowZ fez saber que está com um novo projecto na forja, que vai contemplar uma variedade de estilos, e cuja faixa promocional «Minha pequena», já está disponível.

Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

há 1 ano
Tropa Yogaa é uma dupla relativamente nova, mas está a chamar a atenção pela forma como combina a música e a dança ao fisioculturismo. Formada por Fredy Lück Toks e Yuri Paulo Betão, o duo está no Afro House desde 2016 e falam à Carga sobre como nasce a intenção de juntar a dança e música ao fisioculturismo.

Rafael Gonçalves: A voz do Ghetto Zouk que todos deviam ouvir

há 11 meses
Tem poucos anos de estrada e, apesar de ainda não pisar grandes palcos, Rafael Gonçalves já começou a atrair as tençãoes do público. Seus temas “Cobrar” e “Juntos P’ra Sempre” acabam por ser incorporados nas referências do Ghetto Zouk feito em Angola.

Gabb Lex apresenta as primeiras impressões ao mundo

há 2 anos
Gabb Lex é um artista versátil, mas é com a Kizomba e R&B que mais se tem destacado. Há 9 anos a cantar como profissional, carrega uma carreira marcada por vários singles e vídeoclipes. O jovem de 25 anos vem do Cazenga e apresenta à Carga as primeiras impressões da obra de estreia.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 1 ano
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Edson Narciso: “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

há 1 ano
Diferente de Bob Marley, Edson Narciso quer cultivar o amor, a paz e o respeito pelas diferenças, por meio do Rap, num estilo que apelida de Hard Trap. Já várias vezes tentou uma carreira profissional, e não teve sucesso. Depois de um longo intervalo, aparece com os primeiros projectos musicais.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 1 ano
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.

Variiano: “Queremos ser os ícones do Rap Luso”

há 2 anos
Vat, Graffiter e Cossom formam os Variiano, um grupo de Rap que há três anos vem ocupando o seu espaço no mercado. O trio carrega um foco temático e filofofia de trabalho diferentes dos habituais grupos de Rap. Em menos de três anos produziu três EP, pisou vários palcos e prepara-se para dar o primeiro grande passo da carreira.