Conheça Txu Álex, a “voz do amor” que faz sucesso em Cabinda

Txu Álex é um músico de R&B que está a construir uma carreira de sucesso em Cabinda. Começou em Luanda há 6 anos e hoje montou o seu próprio estúdio em casa. Seu percurso artístico vai desde produções musicais, arranjos a participações em trabalhos de outros artistas.

Depois da passagem nos BPS e BTR Shine, Txu Álex leva agora uma carreira a solo e anuncia o seu primeiro EP, uma obra onde combina os sentidos da existência humana. Considerado a voz do amor em Cabinda, o cantor de 26 anos apresenta a sua carreira à Carga.

Em que circunstância começa a se interessar pelo R&B e Ghetto Zouk?

Sempre gostei de ouvir músicas que retratam o amor. O R&B sempre fez parte da minha vida, mesmo quando estava nos BPS e BTR Shine. Mas a ligação com o Ghetto Zouk foi apenas por curiosidade.

Nessa altura quem foram as suas maiores influências? 

Apesar de estilos e artistas como Zezé de Camargo e Luciano, a minha pura influência foram os BPS Music e a BTR Shine.

Por que razão decidiu levar a carreira a solo?

Uma vez que formámos o grupo dentro de uma formação e, no final da formação

fomos separados para trabalhar em províncias diferentes, o grupo perdeu o foco…

Quantas músicas tem disponível?

A solo tenho mais de 15 músicas. Mas apenas “O Que Quiseres”, “Vamos Superar” e “Lembranças” estão disponíveis no Youtube e na minha página oficial do Facebook.

Conheça Txu Álex, a “voz do amor” que faz sucesso em Cabinda

 Tem músicas suficientes para um EP. Não tem pensado nisso?

Pretendo lançar sim um EP. Já o tenho estruturado. Mas acho que não é o momento certo. Acho que preciso trabalhar mais com as músicas disponíveis. Por enquanto, estou a promover a música “Lembranças” E estou também a reunir condições para gravar o vídeoclip oficial.

De que é feito este EP?

 No EP são 6 taxas com a participação dos Rappers Lord Magnata, Rick Baby as outras 4 são a solo.

Com que músicos gostaria de fazer parceria e porquê?

Toy Toy T-Rex e Lil Saint principalmente. Gostava tanto de fazer um clássico com eles.

Que outras competências têm no ramo da música?

 Eu faço as minhas próprias letras e capto as minhas próprias músicas,

E perspectivo aprender a tocar alguns instrumentos como guitarra e piano.

Que vantagens tem tirado disso?

É muito mais fácil gravar as minhas próprias músicas, porque eu gravo sem pressa e analiso cada palavra que falo e tenho tempo suficiente de refazer antes de tirar. E tem vezes que já não escrevo chego ao estúdio e começo a pensar e gravar pista por pista  até terminar sem importar-se do tempo que a música vai fazer.

Quais recordações tem dos palcos por onde passou?

Não sou um artista de muitos palcos. Em Luanda só participei em festivais de colégios e noites criadas em grupos. Na Lunda Sul em festas de grupos e desfile de moda e em Cabinda em shows de carnavais, aniversários, noites, e quase em todas as festas das FAA, em particular FAN.

as cargas mais recentes

Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

há 1 ano
Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 1 ano
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Sérgio Figura decide dar mais espaço à carreira a solo

há 12 meses
Foi nos Flava Sava, ao lado de Sidjay, Vander Soprano, Verbiz e Dj Sipoda que terá conseguido maior notabilidade, mas, embora pouco notório aos olhos de muitos, sempre levou uma carreira paralela ao grupo e já gravou dois EP, só que desta vez decidiu apostar mais na carreia a solo e já começou a promover a sua imagem.

Yunami: O rapper que representa Angola nos palcos da Hungria

há 12 meses

Variiano: “Queremos ser os ícones do Rap Luso”

há 1 ano
Vat, Graffiter e Cossom formam os Variiano, um grupo de Rap que há três anos vem ocupando o seu espaço no mercado. O trio carrega um foco temático e filofofia de trabalho diferentes dos habituais grupos de Rap. Em menos de três anos produziu três EP, pisou vários palcos e prepara-se para dar o primeiro grande passo da carreira.

Mário Gomes: O presente e o futuro entre os guitarristas

há 11 meses
Dom Caetano, Filipe Mukenga consideram-no o melhor guitarrista da actualidade. Saiba mais sobre este pequeno/grande músico na entrevista concedida à Revista Carga.

Fresh Low, um rapper polivalente que caminha para o estrelato

há 1 ano
Fresh Low é um rapper polivalente e canta há 11 anos. Sua música ‘Makeup’, que conta com a participação de Yankie Boy da Trx Music é a preferência para a maioria dos usuários do YouTube, Soundcloud e Blogues.

Jandir Three, o cantor angolano de Tarraxinha que soma fãs em Moçambique

há 1 ano
Jandir Three é um músico angolano que está a somar fãs em Moçambique, através do Gloom Channel. O jovem de Benguela canta Trap Tarraxinha há 10 anos e tem várias músicas e vídeo clipes disponíveis. Recentemente, assinou com uma nova produtora e está neste momento a preparar projectos e deixa suas impressões à Carga.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 12 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Steel Wonder: Mais um filho do Prenda que aspira ter sucesso no Rap

há 6 meses
A segunda “season” da sua história com a música, surge em 2013, ao identificar-se com a ideologia da Força Suprema. Actualmente no Rap, Steel aspira trabalhar com a Latino Records e vê no single `mamacita´, a sua ascensão musical.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

há 3 meses
Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

A voz que representa o Rap angolano em Moscovo

há 1 ano
Chama-se Massoxy’h e chegou a Rússia há quatro anos, para estudar Engenharia Informática, e está a conquistar vários palcos.

Filho de Paulo Flores prepara o primeiro trabalho da carreira

há 1 ano
Kiari Flores acaba de confirmar que filho de peixe é peixe. O jovem abandonou o Sporting Lisboa e Benfica, onde já evoluía como profissional, para seguir as pisadas do pai.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 12 meses
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Nasce uma nova estrela da música

há 1 ano
Chama-se Chelsea Dinorath, um nome que ainda não é sonante, mas a voz e as composições podem transformá-la numa das maiores referências do R&B em Angola.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 9 meses
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.