Di FlowZ: “Acredito que carreiras em fase embrionária têm sempre obstáculos”

Chama-se Donald Ilunga, mas é conhecido nas lides musicais por Di FlowZ, polivalente, além de músico também produz e tem no seu repertório parcerias de “peso”. Já com um EP lançado em 2019 intitulado «1989», o artista fez reflexões sociais, motivação mas também incrementou a vertente dançante. Neste Primeiras Impressões com a Carga, Di flowZ fez saber que está com um novo projecto na forja, que vai contemplar uma variedade de estilos, e cuja faixa promocional «Minha pequena», já está disponível.

A partir de que momento é que a música cruza o seu caminho?
Desde tenra idade. A música sempre fez parte do meu seio familiar. O meu pai é compositor gospel e a minha mãe foi corista.

Desde então foi o seu desejo profissionalizar-se?
Começou como sendo um hobby, mas, com passar do tempo fui ganhando notoriedade pelo potencial que apresentava e isto serviu de motivação para levar a música um novo patamar: Profissional.

Do que foi feito o seu primeiro projecto «1989» ?
O meu primeiro projecto musical que contou com 6 músicas com dos estilos Hip-Hop, R&B e gueto zouk e com temas diversos desde reflexão social, motivação e dançantes.

 Porque que o R&B é o seu estilo de eleição?
Embora ter começado com o Hip-Hop por influência dos meus amigos, o meu background musical sempre esteve ligado ao estilo R&B.

Sendo uma carreira ainda em fase embrionária, considera que tem sido fácil?
Não tem sido fácil. Acredito que carreiras em fase embrionária têm sempre obstáculos e tenho os meus, mas, com persistência acabam sempre por ser ultrapassados.

Quais as maiores dificuldades que tem encontrado para solidificar a carreira?
As dificuldades vão desde financeiras até na promoção dos meus trabalhos, uma vez que de momento não tenho um agente.

Com que artistas já trabalhou ?
Tive a oportunidade de produzir para os seguintes artistas: Lil Kiss, Rap Ases, Abdiel, LB angolano e contar com a participação de Landrick em uma das minhas faixas músicas.

Considera indispensável este intercâmbio de ideias?
Considero sim, alargam os nossos horizontes músicas.

Quais são os artistas em que se inspira e quais as características que o “atraem”? 
Tenho o artista Abdiel como referência no Hip-Hop angolano pela sua originalidade, versatilidade e excelência nos seus versos. Kaysha pela sua versatilidade.

Quais os projectos que tem na forja?
Tenho um projecto que contará com diferentes estilos musicais e não apenas o tradicional Hip-Hop e R&B. Pretendo com isto mostra a minha versatilidade musical.

 Haverá participações especiais?
Haverá sim,mas, no momento oportuno serão anunciadas.

Consegue adiantar a data de lançamento?
Devido a situação actual do país e do mundo (Corona vírus) alguns planos foram adiados fazendo com que de momento não consiga dar uma data.

Aonde pretende chegar com a música?
É na música onde condenso os meus sentimentos, ideias, basicamente faço dela a minha expressão, a minha voz e sendo assim, pretendo chegar a um patamar internacional e ser ouvido por todos.

as cargas mais recentes

Osvaldo Aprumado: “As produtoras de renome em Angola vendem falsas esperanças aos novos talentos”

há 2 meses
Natural do Rangel, em Luanda, canta há 9 anos e, apesar de não conseguir uma “daquelas” oportunidades, lançou um EP e em breve vai colocar no mercado mais um novo projecto musical acompanhado de vídeoclipe. O jovem de 25 anos conta à Carga como está a desenvolver a sua carreira musical.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 2 meses
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Mário Gomes: O presente e o futuro entre os guitarristas

há 2 meses
Dom Caetano, Filipe Mukenga consideram-no o melhor guitarrista da actualidade. Saiba mais sobre este pequeno/grande músico na entrevista concedida à Revista Carga.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 3 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Jandir Three, o cantor angolano de Tarraxinha que soma fãs em Moçambique

há 3 meses
Jandir Three é um músico angolano que está a somar fãs em Moçambique, através do Gloom Channel. O jovem de Benguela canta Trap Tarraxinha há 10 anos e tem várias músicas e vídeo clipes disponíveis. Recentemente, assinou com uma nova produtora e está neste momento a preparar projectos e deixa suas impressões à Carga.

Demarte Pena: “Ser da família Savimbi, não significa que tinha de seguir a política”

há 3 semanas
O atleta é dos melhores lutadores de MMA em África e mantém a invencibilidade no EFC com 13 títulos. The Wolf (O Lobo), como é conhecido nos ringues, fala à Carga sobre os seus projectos, sonhos e motivações.

A voz que representa o Rap angolano em Moscovo

há 7 meses
Chama-se Massoxy’h e chegou a Rússia há quatro anos, para estudar Engenharia Informática, e está a conquistar vários palcos.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 6 meses
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Mr. Omni promete ser o under diferencial em Angola

há 5 meses
Mr. Omni, heterónimo de Casimiro Garcia, é um rapper que canta há 9 anos. O músico nasceu no Sambizanga e cresceu entre Catambor, Rangel, Vila Alice e Kicolo e conta que viu-se forçado a ser artista para repudiar a situação da pobreza, criminalidade, alcoolismo e drogas que se vivia nos bairros que passou. Com dois EP lançados, o rapper fala durante a primeira entrevista da carreira sobre os próximos desafios.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 4 semanas
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 5 meses
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Killuanji: “Os fazedores do Rap gospel em Angola andam distraídos e tornam o estilo frágil e fraco ao ponto de ninguém os ouvir”

há 2 meses
Lançou recentemente o EP Apocrypha e embora esteja na música há mais de uma década, Killuanji considera que agora sim, a sua carreira começou. O rapper que faz da crença o seu sacerdócio assume-se como o “novo rosto do Rap Gospel em Angola”, e garante que chegou para dar uma lufada de ar fresco ao estilo.

Hannah Gomez quer conquistar o “Top dos Mais Queridos”

há 5 meses
A antiga estrela do “Unitel Estrelas ao Palco” soma e segue. Assinou com a Quebra Galho e gravou o seu primeiro álbum. A jovem de 22 anos quer pisar os maiores palcos do mundo e revela a ambição de conquistar o Top dos Mais Queridos ou o Angola Music Awards.

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 2 semanas
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.

Filho de Paulo Flores prepara o primeiro trabalho da carreira

há 7 meses
Kiari Flores acaba de confirmar que filho de peixe é peixe. O jovem abandonou o Sporting Lisboa e Benfica, onde já evoluía como profissional, para seguir as pisadas do pai.

Conheça Triple Star C, o músico nigeriano que decidiu fazer carreira em Angola

há 3 semanas
O seu sucesso começou na Nigéria, pisando palcos com artistas como Davido, para além de actuar em festivais na África do Sul, Gana e RDC. Mas é em Angola que Triple Star C quer fazer a carreira E, aos poucos, vai ganhando título de promotor e representante do Afro Naija em Angola.