Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos e partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara  algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Disse que começou a cantar na igreja. Teve que  dar  uma volta muito grande ao decidir entrar para  o Rap…

Risos… um pouco. Foi no Rap onde me senti pronta. A minha primeira música que gravei foi feita em 2012 e chamava-se Bang Bang, mas não fez parte do EP.

E quando é que decide abraçar a carreira profissional ?

A minha carreira profissional começou em 2014 , após o lançamento do primeiro EP intitulado ‘O Furacão’, que continha 10 faixas musicais.

Porque decidiu cantar?

Estou mais para o lado comercial e canto porque é um dom que Deus me deu. Não me vejo a fazer nada diferente disso na minha vida. Tenho alguns familiares que cantam, como o D One, da Army Squad e o Legalize, que é meu tio.

Quando começou a perceber  que queria seguir a carreira musical?

Sempre sonhei grande, sempre quis levar até ao meu limite. Me joguei de corpo e alma e estou aqui até hoje .

O quê é que restou do EP ‘O Furacão’?

Foi o meu primeiro filho e com ele aprendi muito. Conquistei muitas coisas e vivi momentos inesquecíveis. 

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

O que sentiu ao ser nomeada para a categoria Voz Revelação do ano 2014  no Top Rádio Luanda?

Foi uma experiência muito marcante, porque tudo aconteceu muito rápido, não tinha quase experiência nenhuma. Era tudo novo, ser a primeira e artista angolana em um top com aquela dimensão, com apenas 15 anos de idade representar o rap feminino em uma categoria que concorri com Ana Joyce e Telma Lee foi uma honra!.

No mundo artístico, os títulos acabam  por conferir um valor simbólico à carreira. Luta por algum título?

Quero apenas fazer boa música e que as pessoas se identifiquem com elas. Porque para mim, o mais importante é simplesmente agradar o meu público alvo e assim conquistar o sucesso que pretendo .

Também é de opinião de que o rap feminino em Angola descreve as aspirações da luta pela igualdade do género?

Sim. Porque as mulheres já provaram inúmeras vezes que são capazes de fazer tudo que os homens fazem e, às vezes até melhor. Hoje além de mcs, temos  DJs , B-girls , Beatmakers , empresárias do ramo etc..

Como conseguiu o contrato com a produtora Piriline ?

A Piriline apanhou-me em um momento de recomeço. Eu tinha dado uma pausa porque estava focada na minha carreira como actriz e retornei quando me junto ao projecto Rapvolução .

A até que ponto foi importante participar do projecto Rapvolução e do colectivo ‘A Voz do Povo’ ?

O Rapvolução foi um desafio porque foi um projecto todo feito e idealizado por mulheres. O álbum a Voz do Povo foi um cartão postal da minha entrada a Piriline.

Haviam outras produtoras que tentavam contactá-la?

Sim no momento em que fui contactada pela Pirline já tinha outras duas propostas à mesa, uma  já com contrato por assinar e outra  já com beats até produzidos e algumas composições, mas decidi seguir com a Piriline.

Ao aliar-se a Piriline é porque deseja algo maior. Que espaço quer ocupar no rap nacional?

O caminho ainda é muito longo, mas quero ser lembrada como umas das mulheres mais importantes da história do Rap em Angola.

Vejo que ainda é muito jovem para a caminhada que trilhou. Não está a correr demais?

Com certeza que não.Porque nunca permiti que alguém dissesse que não posso alcançar tal coisa, por causa da minha idade. Sempre fui muito focada e uma pessoa de objectivos claros. E Sinto que tudo que fiz até hoje não é, nem metade do que eu ainda vou fazer.

Que projectos musicais tem em carteira neste momento?

É segredo, mas posso adiantar que vem muitas coisas, projectos, vídeo clípes etc..

Quantas músicas já tem disponíveis e onde é que o público pode encontrá-las?

Não tenho um número em mente exactamente. Mas, podem encontrá-las em todos os blogues,  minha página oficial do Facebook “Kendrah “ ou YouTube, no canal oficial da Pirline. 

Isto quer dizer que já se pode antever o primeiro álbum? 

Não era para falar mas… tinha projectado já um álbum digital para 2020, mas essa situação toda que vivemos hoje por conta do vírus da Covid-19 ainda vamos ter de repensar e deixar que as coisas melhorem . Recentemente divulgamos o vídeo clípe do single ‘Só Jajão’.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

Que artistas angolanos tanto gostava de fazer participações?

O Dji Tafinha. Porque me identifico muito com a sonoridade dele. Acho-o muito inteligente e, com certeza, juntando-me a ele só sairia música boa.

Sente que já conquistou o seu espaço no rap angolano?

Sim. É raro falar de rap feminino e o nome Kendrah não ser mencionado .

Dos palcos que pisou qual deles reserva maior recordação?

Já estive em palcos como o Cine Atlântico, Cidadela e Estádio dos Coqueiros. Todos foram marcantes, mas posso dizer que até hoje foi o Estádio dos Coqueiros.

as cargas mais recentes

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 10 meses
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.

Daqui para frente Rock angolano passará a estar mais pesado

há 4 semanas

Do Rap ao Afro House: Trio angolano mostra o quanto vale

há 3 meses
Chamam-se The Angels e estão no mercado há quatro anos, fruto disso produziram vários temas e, Julho deste ano, vão lançar o seu primeiro EP intitulado “Não Estragou Nada”, por sinal, nome de uma das faixas.

Kenny Flow Buah deixa primeiras impressões do seu talento ao mundo

há 4 meses
Depois do clip do single ” Perdido no Block” no ano passado, Kenny Flow Buah prepara-se para publicar mais um tema com o respectivo clip, acreditando que desta vez a carreira poderá assumir patamares mais elevados.

Artista português encontra alternativa em pássaros para contornar onda de cancelamentos de shows

há 1 ano
Gohu, pseudónimo de Hugo Veiga, é um português que vive no Brasil há 15 anos. Desde cedo, esteve ligado à música, mas a profissão como publicitário não lhe permitia explorar esse talento. O artista tem agendado para 2021 o lançamento do álbum de estreia e, para contornar a situação dos cancelamentos de shows , foi obrigado a ser muito mais criativo.

Rodex Mágico, um artista plurivalente que caminha a passos firmes em direcção ao triunfo musical

há 2 semanas
O jovem artista vem dos Combatentes, o que parece justificar seus conteúdos e referências musicais como Bruno M. Tal como várias outras estrelas, Mágico é um daqueles talentos que trocou o mundo da delinquência pelo Kuduro ou Rap. Kuduro ou Rap, porque fica difícil se posicionar ante a tendência deste artista, que resulta da fusão entre o Kuduro, Funk, Rap e Afrobeat.

Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

há 1 ano
Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

Fresh Low, um rapper polivalente que caminha para o estrelato

há 1 ano
Fresh Low é um rapper polivalente e canta há 11 anos. Sua música ‘Makeup’, que conta com a participação de Yankie Boy da Trx Music é a preferência para a maioria dos usuários do YouTube, Soundcloud e Blogues.

Conheça Cleyton M, o autor do hit “Emagrece”

há 1 ano
Cleyton M é o pseudónimo de Rafael Elias Manuel. O cantor e dançarino de Afro House é o autor do hit ‘Emagrece’. Sua maneira de dançar tem conquistado fãs por todo lado. O jovem de 18 anos começou do “nada” e hoje faz planos para atingir Chris Brown. Nesta primeira entrevista da carreira, fala sobre o envolvimento com a música.

Jandir Three, o cantor angolano de Tarraxinha que soma fãs em Moçambique

há 1 ano
Jandir Three é um músico angolano que está a somar fãs em Moçambique, através do Gloom Channel. O jovem de Benguela canta Trap Tarraxinha há 10 anos e tem várias músicas e vídeo clipes disponíveis. Recentemente, assinou com uma nova produtora e está neste momento a preparar projectos e deixa suas impressões à Carga.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 9 meses
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.

Killuanji: “Os fazedores do Rap gospel em Angola andam distraídos e tornam o estilo frágil e fraco ao ponto de ninguém os ouvir”

há 11 meses
Lançou recentemente o EP Apocrypha e embora esteja na música há mais de uma década, Killuanji considera que agora sim, a sua carreira começou. O rapper que faz da crença o seu sacerdócio assume-se como o “novo rosto do Rap Gospel em Angola”, e garante que chegou para dar uma lufada de ar fresco ao estilo.

Jackes Di: A continuidade do legado “dos” Paim

há 12 meses
Descendente de uma família artísticamente rica, Emanuel de Carvalho Fernandes da Silva ou simplesmente Jackes Di, dá continuidade ao legado apresentando-se como um artista multifacetado, sendo exímio tocador de guitarra e também canta.

Demarte Pena: “Ser da família Savimbi, não significa que tinha de seguir a política”

há 10 meses
O atleta é dos melhores lutadores de MMA em África e mantém a invencibilidade no EFC com 13 títulos. The Wolf (O Lobo), como é conhecido nos ringues, fala à Carga sobre os seus projectos, sonhos e motivações.

Filho de Paulo Flores prepara o primeiro trabalho da carreira

há 1 ano
Kiari Flores acaba de confirmar que filho de peixe é peixe. O jovem abandonou o Sporting Lisboa e Benfica, onde já evoluía como profissional, para seguir as pisadas do pai.

Nasce uma nova estrela da música

há 1 ano
Chama-se Chelsea Dinorath, um nome que ainda não é sonante, mas a voz e as composições podem transformá-la numa das maiores referências do R&B em Angola.