Mr. Omni promete ser o under diferencial em Angola

Mr. Omni, heterónimo de Casimiro Garcia, é um rapper que canta há 9 anos. O músico nasceu no Sambizanga e cresceu entre Catambor, Rangel, Vila Alice e Kicolo e conta que viu-se forçado a ser artista para repudiar a situação da pobreza, criminalidade, alcoolismo e drogas que se vivia nos bairros que passou. Com dois EP lançados, o rapper fala durante a primeira entrevista da carreira sobre os próximos desafios.

Quando é que começou a cantar?
Comecei a cantar no Ngola Kiluanje no tempo em que o Kuduro era a maior manifestação, sobretudo a nível das danças no seio dos mais novos. Fazíamos as rodas convertíamos o espaço em certas batalhas de freestyles e que depois passou-se tempo e acabei por encarnar o rap no espírito até hoje.

Quando é que sente a necessidade de cantar?
Vivi e cresci em diversos bairros, que acabaram por me transmitir muito conhecimento e, por ele mesmo convive com muitas situações deprimentes. Decidi cantar  porque senti e sinto até hoje a necessidade de exprimir as vicissitudes que a maioria das pessoas passa.

Não teve qualquer influência familiar?
Tenho uma, mas não convém citar o nome.

O que pretende com a música?
Com a música quero ser um influenciador de mentes, de forma massiva para todas as gerações. Não  só de objectivos na música, mas como pessoa e dissimilar a filosofia africana, os ideais e a auto-valorização do nosso povo.

Como vai conseguir concretizar isso?
Porque tenho fé em mim e nas poucas pessoas que acreditam no poder da auto-realização que posso atingir.

Conta com quantas músicas neste momento?
Tenho muitas músicas soltas com várias participações e outros  projectos colaborativos. Só para uma descrição rápida tenho mixtape a
‘Tudo Por Um Motivo’, ‘Dilemas De Um Poeta’ e’Trabalho, Garra e Motivação.

Então já está numa produtora?
Estou associado a TGM Music, Mind Records; Makas Produções, Sons e Beat e Bostrovia.

Qual será a surpresa para este ano?
Tenho vários singles cá que tenciono lançar este ou próximo mês, mas recebi uma proposta de gravar um álbum numas das produtoras que pertenço.

Qual é o seu maior sonho?
Meu maior sonho é fazer com que a revolução que queremos ver, seja apreciada e materializada pelas pessoas. 

Que músicos tem como referências? 
São tantos. Bob Marley, James brown, 2 Pac, Notorious ,Boss Ac,Nga, Azagaia, Phay grande O Poeta, MCK, Ceff Kappa, Sam The Kid, Koolklever, Valete, Halloween, Phoenix RDCb etc..

Disse que está a preparar vídeoclipes, quando é que estarão disponíveis?
Ainda não tenho dinheiro, mas assim que conseguir qualquer coisa, vou disponibilizar. Quero mostrar uma corrente artística muito impactante. A minha expressão vai tratar-se de ilustrações gráficas, como vídeos a descrever histórias, poesias e encenações.

Já pisou alguns palcos?
já partilhei muitos palcos com vários artistas como Landrick e Yola Araújo nos shows do Kotongo. Já estive em shows no Espaço Aplausos, a convite de Cabingano Manuel. 

É no Rap under que vai seguir a carreira?
Pessoalmente gosto de fazer a minha cena e pretendo evoluir como cantar com banda. Posso cantar em estilos que conciliam com o aparato Rap, como Jazz ou Rock.

Fora dos palcos quem é o Casimiro André Milagre Garcia?
Casimiro André Milagre Garcia vive no Sequele e é arquitecto, pesquisador,  influenciador de mentes e empreendedor. 

as cargas mais recentes

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 1 mês
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Após destaque no Moda Luanda, Scró Q Cuia e Nerú Americano anunciam álbum de estreia

há 4 meses
Há dois anos era impossível pensar numa relação entre ambos. Scró Q Cuia e Nerú Americano vêm provando que são verdadeiros profissionais ao criarem os “Pintins”. A dupla anuncia o álbum de estreia, fala do tempo que vai durar a parceria, enumera as conquistas e desvenda os segredos da tamanha cumplicidade, deixando palavras de apreço para os angolanos.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 3 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Quarteto de amigos de infância prepara-se para comandar a música

há 6 meses

Artista português encontra alternativa em pássaros para contornar onda de cancelamentos de shows

há 6 meses
Gohu, pseudónimo de Hugo Veiga, é um português que vive no Brasil há 15 anos. Desde cedo, esteve ligado à música, mas a profissão como publicitário não lhe permitia explorar esse talento. O artista tem agendado para 2021 o lançamento do álbum de estreia e, para contornar a situação dos cancelamentos de shows , foi obrigado a ser muito mais criativo.

Bobby Jay: “Se o 2pac e o B.I.G estivessem vivos, também cantariam num Afrobeat”

há 6 meses
Professor de profissão, Bobby Jay está no Rap há 22 anos, por influência dos SSP, Black Company, Boss AC e Gabriel o Pensador, mas nunca chegou a consolidar a carreira. Atualmente com 30 músicas gravadas e vídeos clipes promocionais, o músico deixa as primeiras impressões e diz-se preparado para testar sua popularidade com um álbum este ano.

Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

há 1 mês
Tropa Yogaa é uma dupla relativamente nova, mas está a chamar a atenção pela forma como combina a música e a dança ao fisioculturismo. Formada por Fredy Lück Toks e Yuri Paulo Betão, o duo está no Afro House desde 2016 e falam à Carga sobre como nasce a intenção de juntar a dança e música ao fisioculturismo.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 5 meses
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

há 4 meses
Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

há 4 meses
Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Tik Tok: O grupo sensação do momento

há 2 semanas
Formado por um menino de 8 anos, um adolescente de 17 e dois jovens de 18, esta turma revela-se como a nova promessa do Afro House nacional.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 6 dias
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 6 meses
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Após conquistar fãs em Benguela, Sarita quer se impôr em Luanda

há 5 meses
Sarita é o nome artístico de Sara Joaquim, uma jovem proveniente do Lobito. A artista de 22 anos canta Zouk, R&B e Kizomba. No ano passado, decidiu vir a Luanda em busca do sonho e tudo parece estar a correr. Nesta entrevista apresenta as primeiras músicas, vídeo clípe e fala dos seus projectos.

Gabb Lex apresenta as primeiras impressões ao mundo

há 4 meses
Gabb Lex é um artista versátil, mas é com a Kizomba e R&B que mais se tem destacado. Há 9 anos a cantar como profissional, carrega uma carreira marcada por vários singles e vídeoclipes. O jovem de 25 anos vem do Cazenga e apresenta à Carga as primeiras impressões da obra de estreia.

Demarte Pena: “Ser da família Savimbi, não significa que tinha de seguir a política”

há 1 mês
O atleta é dos melhores lutadores de MMA em África e mantém a invencibilidade no EFC com 13 títulos. The Wolf (O Lobo), como é conhecido nos ringues, fala à Carga sobre os seus projectos, sonhos e motivações.