Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Como e quando é que se juntaram ?

Começamos como um grupo de quatro e tínhamos como foco fazer boa música, que pudesse agradar diferentes gostos. Mas ambos já levávamos carreiras individuais: Mascy canta desde 2010 e D.B, desde 2008. No entanto, acabamos por nos reestruturar há oito meses e continuar os dois com os mesmos ideais.

Trazem um mistura de Hip Hop e R&B. Que estilo é este? 

O Rap e R&B é o estilo predominante, mas não nos limitamos apenas aos estilos da esfera Hip Hop.

De que género se trata?

São músicas romanticas, festivas, motivadoras e historias.Tentamos englobar um pouco de tudo. Embora as demais duplas façam estilos parecidos, a nossa personalidade musical é muito diferente.

Qual é o vosso diferencial ?

Vamos tentar ser mais o original possível e focar-nos naquilo que queremos transmitir

Como estão as produtividades?

Já temos três músicas e temos tido feedback positivo o que nos fez apostar ainda mais. Pretendemos lançar mais uma musica a próxima semana, e quem sabe próximo mês o video clipe do single “Es Tu”.

Que participações trazem?

A musica “És Tu” apenas os dois no entanto as outras ja lançadas conta com os antigos membros.

Que conteúdos caracterizaram as vossas músicas?

Retratamos o quotidiano, as nossas experiências de vida e dos nossos amigos, dos melhores aos piores momentos.

Como poderão gerir a dupla com as carreiras individuais?

Trabalhando como equipa, embora tenhamos ambições pessoais, nós decidimos os projectos e datas juntos, de modo a não chocar com os objectivos da dupla.

Sabem que o mercado está cada vez mais agressivo. Como pretendem se impor?

Neste momento, temos estado a bater portas e a aproveitar o networking que a dupla tem, e claro, estamos a fazer as coisas acontecerem com nossos próprios meios até que um dia as coisas mudem para melhor.

Que planos têm traçado para este ano?

A nossa meta é brindar os ouvintes com um EP, que já está quase concluído e ocupar o nosso espaço no panorama musical angolano com o Rap e R&B alternativo.

Para que mercados estão direccionadas as suas atenções?

Para o mercado angolano primeiramente e em seguida, o português e brasileiro. Em suma, todos os cantos e países que a nossa música poder alcançar.

Como vão concretizar isso?

Vamos tentar fechar participações com artistas estabelecidos nestes mercados e continuar a trabalhar mais e procurar projectar o maior conteúdo possivel.

De que produtora vêm ?

Pertencemos a Artnation Produtora, onde D.B e Mascy partilham a sociedade com Enoque Luis.

as cargas mais recentes

Tik Tok: O grupo sensação do momento

há 10 meses
Formado por um menino de 8 anos, um adolescente de 17 e dois jovens de 18, esta turma revela-se como a nova promessa do Afro House nacional.

Nankhova: “No meu ranking sou um músico a seguir, um exemplo bom para a música nacional”

há 7 meses
Nankhova é um artista que dispensa apresentações, nos croquis de moda impressiona com o seu Je ne sois quoi e nas pautas musicais pretende transmitir a sua alma que é gerida pelo seu “grande Deus”.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 12 meses
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Nucho anuncia o álbum que lhe vai colocar no topo

há 1 ano
Nucho é um dos poucos rappers angolanos que conseguiu manter-se puro na última década. Em 2017, estreou-se com o álbum Sou[L] RAP e foi nomeado para o maior prémio da música feita em português. Depois disso, surgiram outras surpresas.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 9 meses
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.

Enock: “A minha música Banzelo revolucionou o Rap angolano”

há 11 meses
O surgimento de Enock em 2013 reanimou o Rap nacional ao introduzir abordagens pontuais. O seu tema “Banzelo”, com Ready Neutro e Fabiansky”, colocou-o entre os melhores, contudo, é com o primeiro álbum que quer inscrever o seu nome na montra do Hip Hop angolano, mas não quer fazer isso sem antes medir a popularidade.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 1 ano
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

há 3 meses
Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Do Kuduro ao Rap: Delver Mancha mostra a naturalidade do seu talento

há 5 meses
Actualmente canta Rap e, ao mesmo tempo, é produtor. Se recuarmos no tempo para ver onde o músico começou, será difícil acreditar que este é o mesmo Delver que, em 2008 , procurava por um “lugar ao sol no Kuduro”.

Mário Gomes: O presente e o futuro entre os guitarristas

há 11 meses
Dom Caetano, Filipe Mukenga consideram-no o melhor guitarrista da actualidade. Saiba mais sobre este pequeno/grande músico na entrevista concedida à Revista Carga.

A voz que representa o Rap angolano em Moscovo

há 1 ano
Chama-se Massoxy’h e chegou a Rússia há quatro anos, para estudar Engenharia Informática, e está a conquistar vários palcos.

Do Kuduro ao Rap: Alé G Fiigura mostra o quanto vale

há 8 meses
O artista não só canta, também dança, compõe, produz e é o CEO da Right Time Records, uma produtora independente que vai atraindo outros nomes.

Gabb Lex apresenta as primeiras impressões ao mundo

há 1 ano
Gabb Lex é um artista versátil, mas é com a Kizomba e R&B que mais se tem destacado. Há 9 anos a cantar como profissional, carrega uma carreira marcada por vários singles e vídeoclipes. O jovem de 25 anos vem do Cazenga e apresenta à Carga as primeiras impressões da obra de estreia.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 12 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Malunne: A pequena grande dançarina

há 1 ano
Malunne, filha do músico Maya Cool, a semelhança do pai “deu as mãos” à cultura. Muito cedo começou a cantar, mas, ao contrário do progenitor, não é nesta área em que se destaca, mas sim na dança. Com 16 anos de idade, Malunne já é uma professora de dança consagrada, sendo responsável pela coreografia de cantores conceituados.

Yunami: O rapper que representa Angola nos palcos da Hungria

há 12 meses