Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Como e quando é que se juntaram ?

Começamos como um grupo de quatro e tínhamos como foco fazer boa música, que pudesse agradar diferentes gostos. Mas ambos já levávamos carreiras individuais: Mascy canta desde 2010 e D.B, desde 2008. No entanto, acabamos por nos reestruturar há oito meses e continuar os dois com os mesmos ideais.

Trazem um mistura de Hip Hop e R&B. Que estilo é este? 

O Rap e R&B é o estilo predominante, mas não nos limitamos apenas aos estilos da esfera Hip Hop.

De que género se trata?

São músicas romanticas, festivas, motivadoras e historias.Tentamos englobar um pouco de tudo. Embora as demais duplas façam estilos parecidos, a nossa personalidade musical é muito diferente.

Qual é o vosso diferencial ?

Vamos tentar ser mais o original possível e focar-nos naquilo que queremos transmitir

Como estão as produtividades?

Já temos três músicas e temos tido feedback positivo o que nos fez apostar ainda mais. Pretendemos lançar mais uma musica a próxima semana, e quem sabe próximo mês o video clipe do single “Es Tu”.

Que participações trazem?

A musica “És Tu” apenas os dois no entanto as outras ja lançadas conta com os antigos membros.

Que conteúdos caracterizaram as vossas músicas?

Retratamos o quotidiano, as nossas experiências de vida e dos nossos amigos, dos melhores aos piores momentos.

Como poderão gerir a dupla com as carreiras individuais?

Trabalhando como equipa, embora tenhamos ambições pessoais, nós decidimos os projectos e datas juntos, de modo a não chocar com os objectivos da dupla.

Sabem que o mercado está cada vez mais agressivo. Como pretendem se impor?

Neste momento, temos estado a bater portas e a aproveitar o networking que a dupla tem, e claro, estamos a fazer as coisas acontecerem com nossos próprios meios até que um dia as coisas mudem para melhor.

Que planos têm traçado para este ano?

A nossa meta é brindar os ouvintes com um EP, que já está quase concluído e ocupar o nosso espaço no panorama musical angolano com o Rap e R&B alternativo.

Para que mercados estão direccionadas as suas atenções?

Para o mercado angolano primeiramente e em seguida, o português e brasileiro. Em suma, todos os cantos e países que a nossa música poder alcançar.

Como vão concretizar isso?

Vamos tentar fechar participações com artistas estabelecidos nestes mercados e continuar a trabalhar mais e procurar projectar o maior conteúdo possivel.

De que produtora vêm ?

Pertencemos a Artnation Produtora, onde D.B e Mascy partilham a sociedade com Enoque Luis.

as cargas mais recentes

De Viana para Angola inteira: Anny Gonçalves, a nova revelação da música angolana

há 1 ano
Anny Gonçalves é um talento que a pandemia ajudou a revelar. A cantora destaca-se nos estilos Soul Music e Kizomba. Embora passe por despercebida aos olhos de muitos, vai conquistando o seu espaço. É ela a intérprete da trilha sonora do filme 2 Mundos, produzido por Hochi Fu.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 2 anos
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Fresh Low, um rapper polivalente que caminha para o estrelato

há 3 anos
Fresh Low é um rapper polivalente e canta há 11 anos. Sua música ‘Makeup’, que conta com a participação de Yankie Boy da Trx Music é a preferência para a maioria dos usuários do YouTube, Soundcloud e Blogues.

Malunne: A pequena grande dançarina

há 3 anos
Malunne, filha do músico Maya Cool, a semelhança do pai “deu as mãos” à cultura. Muito cedo começou a cantar, mas, ao contrário do progenitor, não é nesta área em que se destaca, mas sim na dança. Com 16 anos de idade, Malunne já é uma professora de dança consagrada, sendo responsável pela coreografia de cantores conceituados.

Enock: “A minha música Banzelo revolucionou o Rap angolano”

há 2 anos
O surgimento de Enock em 2013 reanimou o Rap nacional ao introduzir abordagens pontuais. O seu tema “Banzelo”, com Ready Neutro e Fabiansky”, colocou-o entre os melhores, contudo, é com o primeiro álbum que quer inscrever o seu nome na montra do Hip Hop angolano, mas não quer fazer isso sem antes medir a popularidade.

Nasce uma nova estrela da música

há 3 anos
Chama-se Chelsea Dinorath, um nome que ainda não é sonante, mas a voz e as composições podem transformá-la numa das maiores referências do R&B em Angola.

Bobby Jay: “Se o 2pac e o B.I.G estivessem vivos, também cantariam num Afrobeat”

há 3 anos
Professor de profissão, Bobby Jay está no Rap há 22 anos, por influência dos SSP, Black Company, Boss AC e Gabriel o Pensador, mas nunca chegou a consolidar a carreira. Atualmente com 30 músicas gravadas e vídeos clipes promocionais, o músico deixa as primeiras impressões e diz-se preparado para testar sua popularidade com um álbum este ano.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 3 anos
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 2 anos
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.

Conheça Triple Star C, o músico nigeriano que decidiu fazer carreira em Angola

há 2 anos
O seu sucesso começou na Nigéria, pisando palcos com artistas como Davido, para além de actuar em festivais na África do Sul, Gana e RDC. Mas é em Angola que Triple Star C quer fazer a carreira E, aos poucos, vai ganhando título de promotor e representante do Afro Naija em Angola.

Nélia Dias: Do Top Rádio Luanda rumo ao topo da música angolana

há 2 anos
Nélia Dias é um nome a se ter em conta no music hall nacional, por ser das poucas que conseguiu colocar o seu nome no Top Rádio Luanda com a música de estreia. A sua carreia ficou marcada por duetos com Young Double, Mona Nicastro, mas agora tem em carteira um novo projecto musical com o qual se quer lançar ao mundo.

Kuta: O artista plástico que leva a herança espiritual angolana ao mundo

há 1 ano
Kuta entrou no mundo das artes muito jovem e tornou-se agora o mensageiro da espiritualidade ancestral negra “nkissi”. Está neste momento a preparar uma nova exposição, que inclui esculturas, pinturas e documentário.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 2 anos
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Gabb Lex apresenta as primeiras impressões ao mundo

há 3 anos
Gabb Lex é um artista versátil, mas é com a Kizomba e R&B que mais se tem destacado. Há 9 anos a cantar como profissional, carrega uma carreira marcada por vários singles e vídeoclipes. O jovem de 25 anos vem do Cazenga e apresenta à Carga as primeiras impressões da obra de estreia.

Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

há 3 anos
Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

10 anos depois Diff regressa ao game para revolucionar o Rap

há 2 anos
É dos rappers mais modernos da actualidade e só não deu cartas porque esteve dez anos fora do mainstream, mas, está de volta e desta vez com um EP de 4 faixas musicais, incluindo os respectivos vídeoclips. Além da obra, o músico preparou uma “bomba” com Anselmo Ralph e fala à Carga sobre o seu regresso.