Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

Como e quando é que se juntaram ?

Começamos como um grupo de quatro e tínhamos como foco fazer boa música, que pudesse agradar diferentes gostos. Mas ambos já levávamos carreiras individuais: Mascy canta desde 2010 e D.B, desde 2008. No entanto, acabamos por nos reestruturar há oito meses e continuar os dois com os mesmos ideais.

Trazem um mistura de Hip Hop e R&B. Que estilo é este? 

O Rap e R&B é o estilo predominante, mas não nos limitamos apenas aos estilos da esfera Hip Hop.

De que género se trata?

São músicas romanticas, festivas, motivadoras e historias.Tentamos englobar um pouco de tudo. Embora as demais duplas façam estilos parecidos, a nossa personalidade musical é muito diferente.

Qual é o vosso diferencial ?

Vamos tentar ser mais o original possível e focar-nos naquilo que queremos transmitir

Como estão as produtividades?

Já temos três músicas e temos tido feedback positivo o que nos fez apostar ainda mais. Pretendemos lançar mais uma musica a próxima semana, e quem sabe próximo mês o video clipe do single “Es Tu”.

Que participações trazem?

A musica “És Tu” apenas os dois no entanto as outras ja lançadas conta com os antigos membros.

Que conteúdos caracterizaram as vossas músicas?

Retratamos o quotidiano, as nossas experiências de vida e dos nossos amigos, dos melhores aos piores momentos.

Como poderão gerir a dupla com as carreiras individuais?

Trabalhando como equipa, embora tenhamos ambições pessoais, nós decidimos os projectos e datas juntos, de modo a não chocar com os objectivos da dupla.

Sabem que o mercado está cada vez mais agressivo. Como pretendem se impor?

Neste momento, temos estado a bater portas e a aproveitar o networking que a dupla tem, e claro, estamos a fazer as coisas acontecerem com nossos próprios meios até que um dia as coisas mudem para melhor.

Que planos têm traçado para este ano?

A nossa meta é brindar os ouvintes com um EP, que já está quase concluído e ocupar o nosso espaço no panorama musical angolano com o Rap e R&B alternativo.

Para que mercados estão direccionadas as suas atenções?

Para o mercado angolano primeiramente e em seguida, o português e brasileiro. Em suma, todos os cantos e países que a nossa música poder alcançar.

Como vão concretizar isso?

Vamos tentar fechar participações com artistas estabelecidos nestes mercados e continuar a trabalhar mais e procurar projectar o maior conteúdo possivel.

De que produtora vêm ?

Pertencemos a Artnation Produtora, onde D.B e Mascy partilham a sociedade com Enoque Luis.

as cargas mais recentes

Yunami: O rapper que representa Angola nos palcos da Hungria

há 2 anos

Demarte Pena: “Ser da família Savimbi, não significa que tinha de seguir a política”

há 2 anos
O atleta é dos melhores lutadores de MMA em África e mantém a invencibilidade no EFC com 13 títulos. The Wolf (O Lobo), como é conhecido nos ringues, fala à Carga sobre os seus projectos, sonhos e motivações.

Daqui para frente Rock angolano passará a estar mais pesado

há 12 meses

Hannah Gomez quer conquistar o “Top dos Mais Queridos”

há 2 anos
A antiga estrela do “Unitel Estrelas ao Palco” soma e segue. Assinou com a Quebra Galho e gravou o seu primeiro álbum. A jovem de 22 anos quer pisar os maiores palcos do mundo e revela a ambição de conquistar o Top dos Mais Queridos ou o Angola Music Awards.

D-Wayne: Um filho do Rap que deixa marcas no Kuduro e Afro House

há 1 ano

Martírio: OPPY narra cenário actual de Angola na primeira obra discográfica

há 1 ano
Numa breve entrevista, o rapper independente confirma que o álbum Martírio estará disponível hoje a partir das 18 horas e conta as vantagens de ser um artista não residente em Angola.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 2 anos
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 2 anos
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

há 1 ano
Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Gilson Son: Morador de rua em Luanda vira estrela do Rap na internet

há 8 meses
Gilson Son é um MC com uma consistência lírica que muitos rappers renomados da nossa praça gostariam de ter. O jovem vive na rua e alimenta-se com pequenos restos de comida que encontra em contentores de lixo. Apesar da difícil vida, Gilson não perdeu o foco e, na semana passada, a sorte bateu-lhe a porta, inclusive DJ Samurai marcou com ele um encontro.

Nsingi, uma voz de Portugal que leva a cultura angolana com rítmo

há 1 ano
Carlos Nsingui nasceu em Portugal e nunca esteve em Angola, mas mantém fortes ligações com a cultura angolana, desde a música, gastronomia ao modo de ser, estar, falar, incluindo a forma de vestir, porque seus país são angolanos e parte da sua família vive em Angola.

Jandir Three, o cantor angolano de Tarraxinha que soma fãs em Moçambique

há 2 anos
Jandir Three é um músico angolano que está a somar fãs em Moçambique, através do Gloom Channel. O jovem de Benguela canta Trap Tarraxinha há 10 anos e tem várias músicas e vídeo clipes disponíveis. Recentemente, assinou com uma nova produtora e está neste momento a preparar projectos e deixa suas impressões à Carga.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 2 anos
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Tanayira Felicidade: Uma voz alternativa em ascensão

há 8 meses
Desde muito cedo, Tanayira Felicidade mostrou que tem inclinação para a música. Quando criança, sempre se destacava nos concursos de dança em que participava e hoje, já adulta, revela-se como a nova promessa do Semba, Kizomba, Soul e R&B.

Itary: Do Rap ao Zouk, a voz da versatilidade

há 2 anos
Quem a vê cantar, pode pensar que Itary nasceu para o Guetho Zouk, mas não. A cantora de 25 anos é muito versátil e transporta o Rap no seu DNA. Aliás, foi no Hip Hop que começou a sua carreira e hoje, está a se transformar numa das vozes mais promissoras do Zouk angolano.

Tik Tok: O grupo sensação do momento

há 2 anos
Formado por um menino de 8 anos, um adolescente de 17 e dois jovens de 18, esta turma revela-se como a nova promessa do Afro House nacional.