Sérgio Figura decide dar mais espaço à carreira a solo

Sérgio Figura é dos nomes mais importantes dos grupos de Rap emergentes da New School. Foi nos Flava Sava, ao lado de Sidjay, Vander Soprano, Verbiz e Dj Sipoda que terá conseguido maior notabilidade, mas, embora pouco notório aos olhos de muitos, sempre levou uma carreira paralela ao grupo e já gravou dois EP, só que desta vez decidiu apostar mais na carreia a solo e já começou a promover a sua imagem. Na segunda-feira, vai gravar um novo vídeoclipe, que será sucedido de outros projectos musicais a serem lançados ainda este ano.

Começou nos Flava Sava. Por que razão decidiu levar a carreira a solo?
Apesar de sermos um grupo, cada membro tem a sua cena a solo, e esse é o momento que decidi pegar mais nas minhas cenas. Na verdade, eu sempre tomei conta do meu próprio destino mesmo dentro do grupo, trabalho com o grupo e na minha cena a solo em paralelo.

Isto significa que já não vai gravar com os Flava?
Gravarei como sempre foi.

Em 2018, lançou uma mixtape. O quê que está a preparar agora?
Na verdade, nunca lancei mixtape, lancei uma EP, o “Kosmos” em 2014, e outro intitulado “Mac”, com colaboração de Sidjay e o Tozé Gonçalves.

Vai gravar um videoclipe na próxima segunda- feira. O quê que ainda está por vir este ano?
Sim. Trata-se da música “Chill” música inédita que pretendo lançar em breve. Tenho gravado muitas coisas e esse ano sai mais coisas para além do videoclipe.

Que participação traz nessa faixa?
Não há participação nessa faixa. Mas depois disso, pretendo lançar músicas seguidas, vou dependendo da recepção do público para o próximo projecto.

Sérgio Figura decide dar mais espaço à carreira a solo

O que está a marcar a sua carreira a solo?
Estou habituado a trabalhar sozinho e em grupo. A meta esse ano é lançar, lançar e lançar de formas a impulsionar o nome “Sérgio Figura” e trabalhar a imagem.

Ouvindo as suas músicas é inevitável falar de si…
As minhas letras caracterizam, maioritariamente, as fases da minha vida, sentimentos, e tudo que vejo em volta do meio que me circunda.

Já não encara a música como hobby. Onde pensa que ainda pode estar com esta arte?
O céu é o limite. Quero ser do tamanho do meu talento, onde ele me levar para mim é o bastante.

Boom Bap, Trap, Trap Soul. Qual deles se enquadra melhor e por quê? Enquadro-me bem em qualquer um deles.

Que opinião tem sobre os grupos de Rap no país?
Não tenho opinião formada sobre eles, só desejo sorte.

as cargas mais recentes

Osvaldo Aprumado: “As produtoras de renome em Angola vendem falsas esperanças aos novos talentos”

há 8 meses
Natural do Rangel, em Luanda, canta há 9 anos e, apesar de não conseguir uma “daquelas” oportunidades, lançou um EP e em breve vai colocar no mercado mais um novo projecto musical acompanhado de vídeoclipe. O jovem de 25 anos conta à Carga como está a desenvolver a sua carreira musical.

Após conquistar fãs em Benguela, Sarita quer se impôr em Luanda

há 11 meses
Sarita é o nome artístico de Sara Joaquim, uma jovem proveniente do Lobito. A artista de 22 anos canta Zouk, R&B e Kizomba. No ano passado, decidiu vir a Luanda em busca do sonho e tudo parece estar a correr. Nesta entrevista apresenta as primeiras músicas, vídeo clípe e fala dos seus projectos.

Bobby Jay: “Se o 2pac e o B.I.G estivessem vivos, também cantariam num Afrobeat”

há 12 meses
Professor de profissão, Bobby Jay está no Rap há 22 anos, por influência dos SSP, Black Company, Boss AC e Gabriel o Pensador, mas nunca chegou a consolidar a carreira. Atualmente com 30 músicas gravadas e vídeos clipes promocionais, o músico deixa as primeiras impressões e diz-se preparado para testar sua popularidade com um álbum este ano.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 6 meses
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.

Di FlowZ: “Acredito que carreiras em fase embrionária têm sempre obstáculos”

há 1 ano
Chama-se Donald Ilunga, mas é conhecido nas lides musicais por Di FlowZ, polivalente, além de músico também produz e tem no seu repertório parcerias de “peso”. Neste Primeiras Impressões com a Carga, Di flowZ fez saber que está com um novo projecto na forja, que vai contemplar uma variedade de estilos, e cuja faixa promocional «Minha pequena», já está disponível.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 7 meses
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Mário Gomes: O presente e o futuro entre os guitarristas

há 8 meses
Dom Caetano, Filipe Mukenga consideram-no o melhor guitarrista da actualidade. Saiba mais sobre este pequeno/grande músico na entrevista concedida à Revista Carga.

Jamayka Poston regressa ao game e é o primeiro PhD angolano a cantar Rap

há 11 meses
Jamayka Poston carrega o ritmo, a arte e a poesia no sangue, com mais de 25 anos de carreira, foi o primeiro a dropar em Kimdundu. Depois de algum tempo ausente, regressa ao game com músicas e EP novos e tem espectáculo agendado. O veterano não é muito de entrevistas, mas aceitou o desafio da Carga para falar sobre o seu invejável percurso artístico.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 8 meses
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Quarteto de amigos de infância prepara-se para comandar a música

há 12 meses

Tik Tok: O grupo sensação do momento

há 6 meses
Formado por um menino de 8 anos, um adolescente de 17 e dois jovens de 18, esta turma revela-se como a nova promessa do Afro House nacional.

10 anos depois Diff regressa ao game para revolucionar o Rap

há 7 meses
É dos rappers mais modernos da actualidade e só não deu cartas porque esteve dez anos fora do mainstream, mas, está de volta e desta vez com um EP de 4 faixas musicais, incluindo os respectivos vídeoclips. Além da obra, o músico preparou uma “bomba” com Anselmo Ralph e fala à Carga sobre o seu regresso.

D-Wayne: Um filho do Rap que deixa marcas no Kuduro e Afro House

há 1 mês

A voz que representa o Rap angolano em Moscovo

há 1 ano
Chama-se Massoxy’h e chegou a Rússia há quatro anos, para estudar Engenharia Informática, e está a conquistar vários palcos.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 9 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Artista plástico promove imagem de músicos através de tambores

há 10 meses
One Million é um artista plástico que, desde os 15 anos, vem promovendo imagem de músicos, especialmente os rappers, usando tambores. Natural do Cazenga, o artista de 27 anos apresenta-se à Carga e explica como funciona a técnica e porquê decidiu fazer isso.