Sérgio Figura decide dar mais espaço à carreira a solo

Sérgio Figura é dos nomes mais importantes dos grupos de Rap emergentes da New School. Foi nos Flava Sava, ao lado de Sidjay, Vander Soprano, Verbiz e Dj Sipoda que terá conseguido maior notabilidade, mas, embora pouco notório aos olhos de muitos, sempre levou uma carreira paralela ao grupo e já gravou dois EP, só que desta vez decidiu apostar mais na carreia a solo e já começou a promover a sua imagem. Na segunda-feira, vai gravar um novo vídeoclipe, que será sucedido de outros projectos musicais a serem lançados ainda este ano.

Começou nos Flava Sava. Por que razão decidiu levar a carreira a solo?
Apesar de sermos um grupo, cada membro tem a sua cena a solo, e esse é o momento que decidi pegar mais nas minhas cenas. Na verdade, eu sempre tomei conta do meu próprio destino mesmo dentro do grupo, trabalho com o grupo e na minha cena a solo em paralelo.

Isto significa que já não vai gravar com os Flava?
Gravarei como sempre foi.

Em 2018, lançou uma mixtape. O quê que está a preparar agora?
Na verdade, nunca lancei mixtape, lancei uma EP, o “Kosmos” em 2014, e outro intitulado “Mac”, com colaboração de Sidjay e o Tozé Gonçalves.

Vai gravar um videoclipe na próxima segunda- feira. O quê que ainda está por vir este ano?
Sim. Trata-se da música “Chill” música inédita que pretendo lançar em breve. Tenho gravado muitas coisas e esse ano sai mais coisas para além do videoclipe.

Que participação traz nessa faixa?
Não há participação nessa faixa. Mas depois disso, pretendo lançar músicas seguidas, vou dependendo da recepção do público para o próximo projecto.

Sérgio Figura decide dar mais espaço à carreira a solo

O que está a marcar a sua carreira a solo?
Estou habituado a trabalhar sozinho e em grupo. A meta esse ano é lançar, lançar e lançar de formas a impulsionar o nome “Sérgio Figura” e trabalhar a imagem.

Ouvindo as suas músicas é inevitável falar de si…
As minhas letras caracterizam, maioritariamente, as fases da minha vida, sentimentos, e tudo que vejo em volta do meio que me circunda.

Já não encara a música como hobby. Onde pensa que ainda pode estar com esta arte?
O céu é o limite. Quero ser do tamanho do meu talento, onde ele me levar para mim é o bastante.

Boom Bap, Trap, Trap Soul. Qual deles se enquadra melhor e por quê? Enquadro-me bem em qualquer um deles.

Que opinião tem sobre os grupos de Rap no país?
Não tenho opinião formada sobre eles, só desejo sorte.

as cargas mais recentes

Kenny Flow Buah deixa primeiras impressões do seu talento ao mundo

há 2 anos
Depois do clip do single ” Perdido no Block” no ano passado, Kenny Flow Buah prepara-se para publicar mais um tema com o respectivo clip, acreditando que desta vez a carreira poderá assumir patamares mais elevados.

Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

há 3 anos
Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

A voz que representa o Rap angolano em Moscovo

há 3 anos
Chama-se Massoxy’h e chegou a Rússia há quatro anos, para estudar Engenharia Informática, e está a conquistar vários palcos.

Nucho anuncia o álbum que lhe vai colocar no topo

há 3 anos
Nucho é um dos poucos rappers angolanos que conseguiu manter-se puro na última década. Em 2017, estreou-se com o álbum Sou[L] RAP e foi nomeado para o maior prémio da música feita em português. Depois disso, surgiram outras surpresas.

Alice Julie mostra os frutos da parceria com a Milionário Records

há 2 anos
Desde pequena sonhou em se tornar numa estrela da música, um desejo que será agora materializado pela Milionário Records. A mais recente aposta da produtora já começou a trabalhar para os seus dois primeiros álbuns e esta sexta-feira (27) vai testar o público com o single “Encaixe Perfeito”.

Do Kuduro ao Rap: Alé G Fiigura mostra o quanto vale

há 2 anos
O artista não só canta, também dança, compõe, produz e é o CEO da Right Time Records, uma produtora independente que vai atraindo outros nomes.

Itary: Do Rap ao Zouk, a voz da versatilidade

há 2 anos
Quem a vê cantar, pode pensar que Itary nasceu para o Guetho Zouk, mas não. A cantora de 25 anos é muito versátil e transporta o Rap no seu DNA. Aliás, foi no Hip Hop que começou a sua carreira e hoje, está a se transformar numa das vozes mais promissoras do Zouk angolano.

Era engraxador e menino de rua, agora é a nova promessa da música angolana

há 2 anos
Salvador da Lata é assim que ficou conhecido e é com este nome que quer se tornar na maior referência da música angolana. O cantor está em estúdio a trabalhar o seu primeiro EP, que trará participações de Maya Cool, Jefferson Santana e Filho do Zua.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

há 2 anos
Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Artista português encontra alternativa em pássaros para contornar onda de cancelamentos de shows

há 3 anos
Gohu, pseudónimo de Hugo Veiga, é um português que vive no Brasil há 15 anos. Desde cedo, esteve ligado à música, mas a profissão como publicitário não lhe permitia explorar esse talento. O artista tem agendado para 2021 o lançamento do álbum de estreia e, para contornar a situação dos cancelamentos de shows , foi obrigado a ser muito mais criativo.

Fresh Low, um rapper polivalente que caminha para o estrelato

há 3 anos
Fresh Low é um rapper polivalente e canta há 11 anos. Sua música ‘Makeup’, que conta com a participação de Yankie Boy da Trx Music é a preferência para a maioria dos usuários do YouTube, Soundcloud e Blogues.

Após destaque no Moda Luanda, Scró Q Cuia e Nerú Americano anunciam álbum de estreia

há 3 anos
Há dois anos era impossível pensar numa relação entre ambos. Scró Q Cuia e Nerú Americano vêm provando que são verdadeiros profissionais ao criarem os “Pintins”. A dupla anuncia o álbum de estreia, fala do tempo que vai durar a parceria, enumera as conquistas e desvenda os segredos da tamanha cumplicidade, deixando palavras de apreço para os angolanos.

Daqui para frente Rock angolano passará a estar mais pesado

há 2 anos

Conheça Skit Van Darken, o autor de “Angola Não Me Diz Nada”

há 1 ano
O músico quase não é visto nos media convencionais, mas goza de boa popularidade considerável na Internet e, à surdina, vai se transformando na principal referência deste subgénero do Hip Hop.

Conheça Triple Star C, o músico nigeriano que decidiu fazer carreira em Angola

há 2 anos
O seu sucesso começou na Nigéria, pisando palcos com artistas como Davido, para além de actuar em festivais na África do Sul, Gana e RDC. Mas é em Angola que Triple Star C quer fazer a carreira E, aos poucos, vai ganhando título de promotor e representante do Afro Naija em Angola.

Enock: “A minha música Banzelo revolucionou o Rap angolano”

há 2 anos
O surgimento de Enock em 2013 reanimou o Rap nacional ao introduzir abordagens pontuais. O seu tema “Banzelo”, com Ready Neutro e Fabiansky”, colocou-o entre os melhores, contudo, é com o primeiro álbum que quer inscrever o seu nome na montra do Hip Hop angolano, mas não quer fazer isso sem antes medir a popularidade.