Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

Tropa Yogaa é uma dupla relativamente nova, mas está a chamar a atenção pela forma como combina a música e a dança ao fisioculturismo. Formada por Fredy Lück Toks e Yuri Paulo Betão, o duo está no Afro House desde 2016 e falam à Carga sobre como nasce a intenção de mesclar três artes distintas.

Como é que se dá a vossa transição para a carreira profissional? 

É difícil explicar esta transição. Cantamos há seis anos, três dos quais de forma profissional. Foi tudo repentino, quando demos por conta já estávamos a gitar as massas e ficamos na boca do povo.

Em que centram as vossas abordagens? 

Muitas coisas, sobretudo as nossas vivências; o nosso quotidiano. Expressamos o que o povo gostaria de ouvir nas músicas.

E o quê o povo gostaria de ver retratado nas músicas?

Seu modo de vida. Sua maneira de viver, de se relacionar com o meio.

Mas isso não parece se traduzir na popularidade que têm na vossa página oficial do Facebook.  Por que ainda não conseguem espelhar isso nas redes sociais ?

Tem faltado mais trabalho na página, a forma de nos interagir com o público.

O Afro House é muito rítmico e quase impossível de diferenciar a musicalidade de um grupo da do outro. Como vos podemos distinguir?

O nosso diferencial é de sermos nós mesmos, as nossas próprias aspirações, aliás somos também atletas e praticamos fisiculturismo.

O mercado está cada vez mais competitivo. Que estratégia traçaram para a vossa permanência? 

Uma nova Dança’ inovação e muita criatividade loucuras apenas bons actores.

Com que artistas mais se identificam e porquê? 

De momento nenhum artista. Criamos os nossos próprios aspectos.

Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

Com a pandemia fica cada vez mais difícil pensar nas composições. Como têm lidado com isso? 

Não há encômodo. Honestamente falando não vemos muita diferença. Mesmo com a pandemia conseguimos criar as nossas notas sem problemas nenhuns.

Quantas músicas têm disponíveis?

Temos três músicas dois vídeoclipes.

Pelo percurso artístico que têm acham que é o número de músicas que deviam ter?

Não. Mas julgamos ter o desempenho espetácular com o qual esperamos brilhar. Trabalhamos sem parar. Todos dias uma criação.

Que novidades teremos dos Tropa Yoga daqui a duas semanas?

Todos os dias temos novidades. Um artista não pára de trabalhar, por isso é que o nome do grupo é Tropa Yoga. Limpamos tudo e todos. Já deu certo!

Praticamente já não são anónimos. Que palcos é que já pisaram? 

Já passamos nos palcos do Pai dos K , Carbura Servic, Sexta dos Há Gájus e muitos outros…

Que projectos estão a preparar para depois do Covid-19?

Teremos novos vídeoclipes e músicas novas que já têm sido trabalhadas e várias actividades. 

as cargas mais recentes

Tik Tok: O grupo sensação do momento

há 11 meses
Formado por um menino de 8 anos, um adolescente de 17 e dois jovens de 18, esta turma revela-se como a nova promessa do Afro House nacional.

Conheça Cleyton M, o autor do hit “Emagrece”

há 1 ano
Cleyton M é o pseudónimo de Rafael Elias Manuel. O cantor e dançarino de Afro House é o autor do hit ‘Emagrece’. Sua maneira de dançar tem conquistado fãs por todo lado. O jovem de 18 anos começou do “nada” e hoje faz planos para atingir Chris Brown. Nesta primeira entrevista da carreira, fala sobre o envolvimento com a música.

Mr. Omni promete ser o under diferencial em Angola

há 1 ano
Mr. Omni, heterónimo de Casimiro Garcia, é um rapper que canta há 9 anos. O músico nasceu no Sambizanga e cresceu entre Catambor, Rangel, Vila Alice e Kicolo e conta que viu-se forçado a ser artista para repudiar a situação da pobreza, criminalidade, alcoolismo e drogas que se vivia nos bairros que passou. Com dois EP lançados, o rapper fala durante a primeira entrevista da carreira sobre os próximos desafios.

Artista português encontra alternativa em pássaros para contornar onda de cancelamentos de shows

há 1 ano
Gohu, pseudónimo de Hugo Veiga, é um português que vive no Brasil há 15 anos. Desde cedo, esteve ligado à música, mas a profissão como publicitário não lhe permitia explorar esse talento. O artista tem agendado para 2021 o lançamento do álbum de estreia e, para contornar a situação dos cancelamentos de shows , foi obrigado a ser muito mais criativo.

Di FlowZ: “Acredito que carreiras em fase embrionária têm sempre obstáculos”

há 1 ano
Chama-se Donald Ilunga, mas é conhecido nas lides musicais por Di FlowZ, polivalente, além de músico também produz e tem no seu repertório parcerias de “peso”. Neste Primeiras Impressões com a Carga, Di flowZ fez saber que está com um novo projecto na forja, que vai contemplar uma variedade de estilos, e cuja faixa promocional «Minha pequena», já está disponível.

Daqui para frente Rock angolano passará a estar mais pesado

há 3 meses

Jamayka Poston regressa ao game e é o primeiro PhD angolano a cantar Rap

há 1 ano
Jamayka Poston carrega o ritmo, a arte e a poesia no sangue, com mais de 25 anos de carreira, foi o primeiro a dropar em Kimdundu. Depois de algum tempo ausente, regressa ao game com músicas e EP novos e tem espectáculo agendado. O veterano não é muito de entrevistas, mas aceitou o desafio da Carga para falar sobre o seu invejável percurso artístico.

Nue Wave, a dupla que vai dar nova onda ao público

há 1 ano
Nue Wave é uma dupla nova formada por D.B e Mascy, ambos natural da Ingombotas, Luanda. Os dois amigos trazem uma proposta musical que resulta da mistura entre Hip Hop, R&B e Soul. Depois de longos anos de carreira a solo, D.B e Mascy querem atingir o nível mais alto da música angolana, através destes projectos.

D-Wayne: Um filho do Rap que deixa marcas no Kuduro e Afro House

há 6 meses

Variiano: “Queremos ser os ícones do Rap Luso”

há 1 ano
Vat, Graffiter e Cossom formam os Variiano, um grupo de Rap que há três anos vem ocupando o seu espaço no mercado. O trio carrega um foco temático e filofofia de trabalho diferentes dos habituais grupos de Rap. Em menos de três anos produziu três EP, pisou vários palcos e prepara-se para dar o primeiro grande passo da carreira.

Um DJ pequeno com um percurso profissional invejável

há 12 meses
Com apenas 13 anos de idade, Dj Dinho já leva uma carreira profissional invejável. Já foi contratado para tocar nos mesmos festivais que Paulo Alves, Havaiana, Vado Poster, Rickstar e Pzee Boy, e tem a fama de ser o primeiro com a sua idade a actuar no Unitel Festa da Música.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 1 ano
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Luz do Spoken: “uso conscientemente a arte da poesia falada para causar reflexões e quiçá mudanças”

há 1 ano
A multifacetada actriz, poeta declamadora (spoker) que se “aventura” como Directora, Produtora de arte e na escrita criativa, vai apresentar amanhã as 17:30 o recital “Multimorfoses”, onde vai apresentar o seu percurso como pessoa e artista. Numa breve conversa com a artivista, ficámos a saber de onde vem e para onde vai a Luz do Spoken, em meio ao “caos” social.

Do Kuduro ao Rap: Alé G Fiigura mostra o quanto vale

há 9 meses
O artista não só canta, também dança, compõe, produz e é o CEO da Right Time Records, uma produtora independente que vai atraindo outros nomes.

Sérgio Figura decide dar mais espaço à carreira a solo

há 1 ano
Foi nos Flava Sava, ao lado de Sidjay, Vander Soprano, Verbiz e Dj Sipoda que terá conseguido maior notabilidade, mas, embora pouco notório aos olhos de muitos, sempre levou uma carreira paralela ao grupo e já gravou dois EP, só que desta vez decidiu apostar mais na carreia a solo e já começou a promover a sua imagem.

Do Kuduro ao Rap: Delver Mancha mostra a naturalidade do seu talento

há 6 meses
Actualmente canta Rap e, ao mesmo tempo, é produtor. Se recuarmos no tempo para ver onde o músico começou, será difícil acreditar que este é o mesmo Delver que, em 2008 , procurava por um “lugar ao sol no Kuduro”.