Um DJ pequeno com um percurso profissional invejável

Com apenas 13 anos de idade, Dj Dinho já leva uma carreira profissional invejável. Já foi contratado para tocar nos mesmos festivais que Paulo Alves, Havaiana, Vado  Poster, Rickstar e Pzee Boy, e tem a fama de ser o primeiro com a sua idade a actuar no Unitel Festa da Música.

Dinho, como é carinhosamente chamado pelos amigos, é daqueles talentos que consideramos nato. O primogénito de três irmãos é o único de casa que segue a carreira artística. Nem mesmo ele consegue explicar como se tornou num Dj. “Comecei a tocar com um computador HP em casa em 2016, tinha 9 anos”, afirma.

Durante esse percurso conseguiu contratos. Em 2019, actuo ao lado de nome como Dj Malvado no projecto “O Padrinho” e em 2018 tocou com djs Havaiana e Vado poster, além de pisar o palco Unitel Festa da Música e deixar sua marca em várias outras festas de Luanda, Kwanza Norte e Benguela.

Natural de Luanda, Israel Gabriel da Conceição Manico, tal como qualquer criança da sua idade, tem brinquedos infantis e frequenta a oitava classe, mas o comprometimento com a música, obriga-o a ter, diariamente, que arranjar tempo para manejar a misturadora que está em casa e desta forma aperfeiçoar as técnicas de djs.

Seu sonho é ser engenheiro informático e um dj de renome. “Quero ser engenheiro informático e um dj de renome  da nossa praça e do exterior do país”, determinado partilha enquanto olha para a mesa.

Apesar da pouca idade, o rapaz consegue tocar sem auscultadores; maneja qualquer tipo de misturadora e desafia todo estilo de música, mesmo numa única mesa. “Manejo as mesas mesturadoras usadas por outros djs”.

De habilidades não é tudo, os amigos do bairro  descrevem-no como um bom atleta de futebol, bailarino de Afro House e estudante, o que fê-lo inicialmente assinar com a Sambienvetos e agora com Produtora Sambila Pró .

Após ter partilhado palcos com Pzee Boy, Kelson Mário Rickstar, Habias, Dj Dinho espera seguir a carreira para “rebentar” com todos os festivais de Angola.

as cargas mais recentes

Kendrah: “Quero ser lembrada como uma das mulheres mais importantes da história do Rap”

há 3 anos
Natural das Ingombotas, Kendrah começou a cantar na igreja. Mais tarde, decide honrar o legado de Marita Vénus e Dona Kelly. Aos 15 anos, tornou-se na artista mais nova a ser nomeada para o Top Rádio Luanda. Depois disso, participou de projectos, partilhou os melhores palcos de Angola. Hoje com 21 anos, prepara algo que pode mudar a história do Rap nacional.

Di FlowZ: “Acredito que carreiras em fase embrionária têm sempre obstáculos”

há 3 anos
Chama-se Donald Ilunga, mas é conhecido nas lides musicais por Di FlowZ, polivalente, além de músico também produz e tem no seu repertório parcerias de “peso”. Neste Primeiras Impressões com a Carga, Di flowZ fez saber que está com um novo projecto na forja, que vai contemplar uma variedade de estilos, e cuja faixa promocional «Minha pequena», já está disponível.

Jackes Di: A continuidade do legado “dos” Paim

há 3 anos
Descendente de uma família artísticamente rica, Emanuel de Carvalho Fernandes da Silva ou simplesmente Jackes Di, dá continuidade ao legado apresentando-se como um artista multifacetado, sendo exímio tocador de guitarra e também canta.

Acaba de nascer mais uma voz da música angolana em Portugal

há 3 anos
Krysna é o nome artístico de Crisna Luquene de Oliveira Alfredo, uma jovem de 21 anos de idade, que nasceu no Bairro Popular e vive actualmente no Porto. Descobriu a veia musical em Luanda, mas é em Portugal que está a ganhar suporte. A cantora luta para assumir o espaço lusófono com sua kizomba e apresenta à Carga as primeiras impressões da sua musicalidade.

Do backstage ao palco: produtor executivo do Duetos N’Avenida aposta na carreira musical

há 1 ano

Do Rap ao Afro House: Trio angolano mostra o quanto vale

há 2 anos
Chamam-se The Angels e estão no mercado há quatro anos, fruto disso produziram vários temas e, Julho deste ano, vão lançar o seu primeiro EP intitulado “Não Estragou Nada”, por sinal, nome de uma das faixas.

Do Kuduro ao Rap: Alé G Fiigura mostra o quanto vale

há 2 anos
O artista não só canta, também dança, compõe, produz e é o CEO da Right Time Records, uma produtora independente que vai atraindo outros nomes.

Do Kuduro ao Rap: Delver Mancha mostra a naturalidade do seu talento

há 2 anos
Actualmente canta Rap e, ao mesmo tempo, é produtor. Se recuarmos no tempo para ver onde o músico começou, será difícil acreditar que este é o mesmo Delver que, em 2008 , procurava por um “lugar ao sol no Kuduro”.

Kuta: O artista plástico que leva a herança espiritual angolana ao mundo

há 1 ano
Kuta entrou no mundo das artes muito jovem e tornou-se agora o mensageiro da espiritualidade ancestral negra “nkissi”. Está neste momento a preparar uma nova exposição, que inclui esculturas, pinturas e documentário.

Banda Prontidão: A Banda do Futuro

há 2 anos
Surgiram quase do nada e actualmente já não passam despercebidos. Destacaram-se todos individualmente e decidiram formar uma banda, inspirando-se em conjuntos como Kiezos, Jovens do Prenda, Banda Maravilha e Banda Movimento.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

há 2 anos
Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Hannah Gomez quer conquistar o “Top dos Mais Queridos”

há 3 anos
A antiga estrela do “Unitel Estrelas ao Palco” soma e segue. Assinou com a Quebra Galho e gravou o seu primeiro álbum. A jovem de 22 anos quer pisar os maiores palcos do mundo e revela a ambição de conquistar o Top dos Mais Queridos ou o Angola Music Awards.

Malunne: A pequena grande dançarina

há 3 anos
Malunne, filha do músico Maya Cool, a semelhança do pai “deu as mãos” à cultura. Muito cedo começou a cantar, mas, ao contrário do progenitor, não é nesta área em que se destaca, mas sim na dança. Com 16 anos de idade, Malunne já é uma professora de dança consagrada, sendo responsável pela coreografia de cantores conceituados.

Artista português encontra alternativa em pássaros para contornar onda de cancelamentos de shows

há 3 anos
Gohu, pseudónimo de Hugo Veiga, é um português que vive no Brasil há 15 anos. Desde cedo, esteve ligado à música, mas a profissão como publicitário não lhe permitia explorar esse talento. O artista tem agendado para 2021 o lançamento do álbum de estreia e, para contornar a situação dos cancelamentos de shows , foi obrigado a ser muito mais criativo.

Osvaldo Aprumado: “As produtoras de renome em Angola vendem falsas esperanças aos novos talentos”

há 2 anos
Natural do Rangel, em Luanda, canta há 9 anos e, apesar de não conseguir uma “daquelas” oportunidades, lançou um EP e em breve vai colocar no mercado mais um novo projecto musical acompanhado de vídeoclipe. O jovem de 25 anos conta à Carga como está a desenvolver a sua carreira musical.

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 2 anos
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.